Connor McGregor vai tentar conseguir algo que ninguém conseguiu fazer: derrotar Floyd Mayweather desde que este se tornou pugilista profissional. Em caso de vitória sobre o lutador do UFC, ‘The Money’ alcança o seu 50º triunfo consecutivo.

Porém, nos Jogos Olímpicos de Atlanta, um lutador búlgaro 'aproveitou' uma decisão polémica para conseguir a vitória sobre Mayweather Jr, tendo sido o grande momento da sua carreira.

“Sinto-me como um vencedor e fico orgulhoso por ser o único homem a ter batido o Floyd Mayweather Jr. Neste momento todo o mundo sabe quem eu sou. Tinha medo que já me tivessem esquecido”, afirma, orgulhoso, Serafim Todorov.

Orgulhoso, mas amargurado com o rumo que a sua vida tomou. No seu pequeno apartamento, Todorov vive dependente do subsidio do governo a rondar os 400 euros mensais.

Dez coisas que precisa de saber sobre o duelo McGregor vs Mayweather
Dez coisas que precisa de saber sobre o duelo McGregor vs Mayweather
Ver artigo

“O dinheiro que recebo não é suficiente. A minha família não tem emprego. É difícil porque vivo numa pequena cidade e não há muito trabalho. Do que recebo, ainda há um empréstimo para pagar ao banco e contas para saldar. Tinha uma casa maior na minha terra [Peshtera] mas tive de vender porque não tinha dinheiro para sobreviver”, confessa o antigo pugilista búlgaro.

Longe vão os tempos gloriosos de agosto de 1996 e a vida de Serafim Todorov mudou muito desde os Olímpicos de Atlanta. Na altura sentia-se imbatível e confiante, tanto que treinou apenas nas três semanas anteriores ao combate.

“A minha experiência era muito mais forte. Tinha vencido todos os russos, os cubanos, alguns americanos, alemães e campeões olímpicos. Gozava com eles lá dentro e vencia-os a todos. E era muito inteligente. Era um pugilista com um estilo muito bonito e atraente de se ver. No ringue é preciso ser um artista. E eu era-o.”.

Arbitragem polémica

Floyd Mayweather, com apenas 19 anos, viu a sua mão ser levantada em sinal de vitória na meia-final, mas a contagem atribuía uma vantagem de 10-9 para Todorov. O árbitro egípcio enganou-se e acabou por corrigir. “Quando o combate terminou, achei que estava na frente ou pelo menos empatado”, disse o jovem Floyd.

McGregor terá de seguir as regras do boxe para não arriscar multa pesada
McGregor terá de seguir as regras do boxe para não arriscar multa pesada
Ver artigo

Este capítulo gerou muita polémica na altura e a comitiva norte-americana protestou, referindo que os golpes de Mayweather não foram contabilizados. Para piorar o ambiente já pesado, o presidente da comissão de arbitragens da altura era búlgaro.

Floyd Mayweather recebeu a medalha de bronze mas (já) teve uma atitude de vencedor: “Vocês sabem e eu sei que não iria ser atingido na final. Eles dizem que ele é o campeão do mundo mas agora todos vocês sabem quem é o verdadeiro campeão. Eu sei que ganhei. Estou orgulhoso com o que fiz. Representei o meu país. Quando voltar a casa, quero toda a gente tão contente como se tivesse ganho o ouro”.

Todorov acabou por perder a final para o tailandês Somluck Kamsing e mergulhou as suas mágoas em álcool e pensou em desistir do boxe, tendo recusado dois promotores com propostas de luxo para futuros combates. O ‘não’ manteve-se.

Todorov e Mayweather, dois caminhos diferentes

Após a recusa, os dois promotores contataram Floy Mayweather e todos conhecemos a ascensão do norte-americano, tornando-se um dos melhores atletas de sempre da modalidade. Contudo, Serafim Todorov não atribui diretamente as propostas ao sucesso de ‘The Money’, acreditando que ele se tornaria de qualquer forma aquilo que é hoje.

“Floyd, dou-te os parabéns por continuares imbatível e espero que continues assim depois do combate com o Pacquiao. Isso vai fazer-me sentir mesmo muito orgulhoso por ter sido o único homem que alguma vez conseguiu derrotar-te”, afirmou.

*Este artigo foi adaptado de uma entrevista de Tedorov Serafim à CNN em 2015 e numa reportagem da edição de 28 de abril do mesmo ano ao jornal i.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.