Em 24 horas, tudo mudou. Nate Diaz tinha anunciado na passada quinta-feira que já não iria estar no UFC 244 do próximo sábado, 2 de novembro, onde iria defrontar Jorge Masvidal no combate principal. Mas, pouco tempo depois, o Ultimate Fight Championship confirmou que o norte-americano vai mesmo estar no octógono perante Jorge Masvidal, no combate principal para a categoria pesos-leves.

Num longo comunicado publicado na sua página oficial na internet, a UFC começa por explicar que está a trabalhar junto da USADA (Agência Antidoping dos EUA) para um desporto cada vez mais limpo. Mas sublinha que as mudanças operadas nas políticas antidoping, no dia 31 de agosto, permitem a Nate Diaz estar a combater.

"Desde 31 de agosto de 2019, algumas mudanças significativas na Política Antidoping do UFC foram acordadas, em princípio entre o UFC e a USADA e, como tal, foram colocadas em prática. Uma dessas mudanças é a adopção de níveis de concentração com base científica, também conhecidos como limiares mínimos, para certas substâncias proibidas, onde as evidências demonstram que testes positivos dessas substâncias abaixo do limiar são consistentes com contaminação inocente. Uma amostra positiva de uma substância aplicável abaixo dos resultados do nível de concentração decididos é tratada como algo atípico. Uma descoberta atípica não resultará em violação, na ausência de outros fatos ou circunstâncias que confirmem que o atleta pretendia obter um benefício terapêutico ou melhoria não autorizada do desempenho através do uso da substância", escreve a UFC em comunicado, antes de explicar a decisão de manter Diaz a combater, apesar do teste positivo a uma substância proibida.

"A de outubro de 2019, Nate Diaz fez uma declaração pública sobre um recente teste fora de competição realizado pela USADA. O UFC foi notificado pela USADA de que o teste fora de competição concluiu que a substância LGD-4033 [multivitamínico orgânico]  estava presente na amostra de Diaz numa quantidade abaixo do nível de concentração decidido para esta substância. A USADA está analisar o teste fora de competição como uma descoberta atípica. Outros testes laboratoriais conduzidos pelo Laboratório de Pesquisa e Teste de Medicina Desportiva (SMRTL), um laboratório credenciado pela WADA em Salt Lake City, Utah, confirmaram que duas garrafas do mesmo multivitamínico orgânico, 'vegan' e à base de plantas, que Nate Diaz usava, foi contaminado com LGD-4033, o que deixa em evidência que se trata de uma amostra contaminada. Nate Diaz não cometeu uma violação da Política Antidoping, não foi suspenso provisoriamente e não está sujeito a nenhuma sanção. Além disso, o UFC foi informado por especialistas independentes que determinaram que não há inequivocamente nenhuma melhoria apreciável de desempenho ou benefício terapêutico da quantidade significativamente limitada de LGD-4033 que pode estar presente no sistema, que é aproximadamente 10.000 vezes menor que um LGD- 4033 em dose terapêutica", explica a UFC.

Com esta decisão, Nate Diaz poderá lutar com Jorge Masvidal a 2 de novembro de 2019 no Madison Square Garden, em Nova York, Nova York. Este será o 500º evento ao vivo do UFC.

De recordar que Masvidal é detentor do KO mais rápido da história do UFC.

Nate Diaz ganhou notoriedade, depois de um combate em que levou a melhor sobre Conor McGregor, onde obrigou o irlandês a desistir.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.