O campeonato mundial inicia a partir das 8h30, no perímetro do pavilhão Multiusos do Kilamba, com provas longas e curtas em masculinos (11, 5 e 4, 5 Kms) e apenas curtas, em femininos.

Para o primeiro dia do evento (sábado) estão programadas a disputas de meia centena de atletas militares de Angola, Botswana, Eritreia, Quénia, Zimbawe, Nigéria, Tanzânia e Mónaco.

O evento foi aberto nesta sexta-feira, no Kilamba, em cerimónia presidida pelo secretário de Estado para Defesa Nacional, Almirante Rufino, acompanhado do representante do Conselho Internacional do Desporto Militar (CISM), o Brigadeiro General Martin Kizito Ong'oyi (do Quénia), bem como o secretário de Estado para o Desporto, Carlos Almeida.

No acto, antecedido do desfile das delegações, seguido de exibição de grupos culturais (danças tradicionais), foram lidas mensagens de boas vindas e encorajamento aos corredores dos distintos estados presentes.

O certamente é organizado sob égide do Conselho Internacional do Desporto Militar (CISM), em parceria com autoridades angolanas e a Organização do Desporto Militar da Região Austral (ESALO).

A iniciativa visa, além da competição, proporcionar momentos de convívio, troca de experiências entre dirigentes, treinadores e atletas militares de várias partes do mundo.

Na edição anterior, em 2017, na Hungria, Angola esteve representada por dois atletas do Exército, masculino e feminino.

Fundado em 1948, o CISM é uma organização transnacional, com sede em Bruxelas, cuja finalidade é fomentar a paz e a amizade entre militares por meio do desporto.

O órgão, composto pela reunião de 127 países de quatro continentes, organiza Campeonatos Militares Mundiais, Continentais e Regionais de várias modalidades desportivas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.