Angola, em masculinos, ocupou a segunda posição na especialidade do "Super Cup" do 58º Campeonato do Mundo Militar de corta-mato (Cross Country), em ambos os sexos, disputado hoje, em Luanda, no terreno adjacente ao Pavilhão Multiusos do Kilamba.

Ao totalizar 151 pontos, os atletas anfitriões ficaram atrás do Zimbabwe, com 88 (vence quem pontuar menos).

Na distância curta, em masculinos, a representação angolana foi a terceira classificada com 50 pontos, depois do Congo Democrático (segundo com 42), e Zimbabwe (primeiro com 23 pontos), em prova dominada, no geral, pelo Quénia.

Em curta distancia, para femininos, as “militares” do país posicionaram-se em quinto com 97 pontos, depois do Botswana (4º/77p), Zimbabwe (3º 61/p), Nigéria (2º/55p) e Tanzânia (1º/32p).

Já na especialidade de longa distância, os tropas masculinos de Angola foram os sextos colocados com 101 pontos, atrás da Nigéria (5º/88p), Zimbabwe (4º/65p), Botswana (3º/52p), Tanzânia (2º/32p) e Quénia (1º/17p).

Quanto ao registo individual, prova longa em masculinos, venceu o queniano Emanuel Kipsang, com o tempo de 33:41, nos 11 Km. Foi seguido pelo tanzaniano Emmanuel Giniki (33:45) e pelo também queniano Franklin Ngelel (33:54). O angolano melhor posicionado foi Domingos Muholo (18º/37:52).

Na curta, em quatro Km, superioridade do tanzaniano Mohamed Ahy Mbua (12:48), secundado por Have TT, do Zimbabwe (13:45) e Lukonda Samuel, da RDC (14:10), enquanto que Domingo Luís, de Angola (14:55), quedou-se em nono.

Nesta distância, mas em feminino, triunfo para Perin Nengapi (Quénia), com o tempo de 15:41, seguida pela compatriota Caroline Chepkemoi (15:43) e Harena Tadesse, da Eritreia (15:49). A angolana melhor posicionada foi domingas Tchiaca, na 19º posição com o tempo de 19:15.

Decorrida no perímetro acidentado da zona sul da capital do país, com corridas longas e curtas em masculinos (11, 5 e 4, 5 Kms) e apenas curtas, em femininos, participaram na competição meia centena de atletas militares em representação de Angola, Botswana, Eritreia, Quénia, Zimbawe, Nigéria, Tanzânia, RD Congo e Mónaco.

O Campeonato do Mundo Militar foi organizado sob égide do Conselho Internacional do Desporto Militar (CISM) e por via de uma parceria entre as autoridades angolanas e a Organização do Desporto Militar da Região Austral (ESALO).

A iniciativa visa, além da competição, proporcionar momentos de convívio, troca de experiências entre dirigentes, treinadores e atletas militares de várias partes do mundo.

Na edição anterior, em 2017, na Hungria, Angola esteve representada por dois atletas do Exército, masculino e feminino.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.