Ana Cabecinha conseguiu chegar ao objetivo que traçou para os Campeonatos do Mundo de atletismo, um lugar entre as 10 primeiras dos 20 km marcha, que se disputaram ao início da madrugada, com temperatura elevada e humidade alta.

A atleta lusa foi hoje nona na prova disputada em Doha, com a marca de 1:36.31 horas, atingindo a sua meta mais uma vez - desde 2011 que fica sempre entre as dez melhores, a este nível.

O pódio foi para as três atletas chinesas, que se apresentavam como favoritas: Hong Liu (1:32.53), Shenjie Qieyang (1:33.10) e Liujung Yang (1:33.17).

Ana Cabecinha conseguiu, por outro lado, ser a segunda melhor europeia, imediatamente atrás de María Pérez, de Espanha. Melhor do que ela, além das chinesas, só atletas sul-americanas e japonesas.

"Estou muito satisfeita, porque vinha com receio. Sabia que estava bem fisicamente, mas tive medo de arriscar cedo de mais. Esperei para o fim, tive forças e andei a recuperar e fiz uns últimos cinco quilómetros estrondosos a apanhar vários atletas - mas depois, na parte final, ressenti-me um bocado", explicou a marchadora.

Ana Cabecinha diz mesmo que está "feliz por ser outra vez 'top' 10 do mundo", sobretudo "com estas condições" de temperatura e humidade. "Não estava completamente à espera, porque houve atletas líderes do ano que ficaram para trás, atletas com muito melhores marcas do que eu este ano", sublinhou.

"Consegui fazer a prova de trás para a frente, com cabeça, estou felicíssima por isso, sempre sem entrar em loucuras", acrescentou.

O futuro de Ana Cabecinha "passa pelos Jogos Olímpicos do próximo ano, que é o objetivo de todos os atletas".

"Quero estar melhor e preparar-me ainda melhor, porque vai ser duro, igual a esta prova. Quero estar em grande forma, para poder dar um resultado ainda melhor do que este aos portugueses", concluiu a atleta lusa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.