Benfica, em masculinos, e Sporting, em femininos, apresentam-se este fim de semana em Leiria para a defesa dos títulos de campeões nacionais de atletismo, procurando ambos aumentar para nove a série de triunfos consecutivos.

A tendência continua muito clara e acentuou-se nos últimos anos, com os rivais lisboetas a concentrarem-se cada vez mais no setor que lhe garante mais sucessos, ao mesmo tempo que não aparecem outros emblemas com força para se intrometer no 'duelo' entre 'águias' e 'leões'.

A questão do título está 'anunciada', mais uma vez, na 'maratona' de provas que vão ocupar o estádio Dr. Magalhães Pessoa, com as finais dos Campeonatos Nacionais de Clubes da I, II e III divisões, num total de 48 equipas masculinas e femininas (oito por cada divisão e género) em representação de 32 clubes.

No total dos campeonatos já realizados, o Sporting ainda é o grande dominador e soma já 48 triunfos, quer em masculinos, quer em femininos.

Na competição feminina, apresenta-se como principal favorito para continuar a sua série vitoriosa, com as restantes equipas a lutarem pelo pódio, com clara vantagem para o Benfica, que não falha os três primeiros desde 2011, e Juventude Vidigalense, de Leiria, que também o consegue ininterruptamente desde 2012.

Já em masculinos, o Benfica tentará continuar a sua série de triunfos (já vai em oito consecutivos), mas o Sporting está empenhado em reconquistar o título perdido em 2011.

Na luta pelo pódio, está a 'equipa da casa' a Juventude Vidigalense, que tentará voltar a subir ao pódio, onde esteve entre 2011 e 2017. Em 2018 ficou de fora, ultrapassada pela equipa do Sporting de Braga.

Jardim da Serra e Estreito são dois clubes com equipas na I divisão em ambos os géneros, competindo ainda o CA Seia e o Água de Pena, em masculinos, e Eirense e Grecas, em femininos.

Competem na segunda divisão, em ambos os géneros, Casa do Benfica de Faro e Maia AC, tendo a companhia em masculinos das equipas do Cucujães (campeão da II divisão no ano passado), Póvoa de Varzim (campeão da III Divisão em 2018), Grecas, Escola do Movimento, Gira Sol e Novas Luzes.

Em femininos, competem ainda Água de Pena, Senhora do Desterro (campeão da II divisão em 2018), Oliveira do Douro (campeão da III divisão no ano passado), Fátima, ADREP e Marítimo.

Já a terceira divisão engloba as presenças de Mazarefes e Bela Vista, nos dois géneros, competindo ainda em masculinos as formações do Juventude Ilha Verde, JOMA, Sobral de Ceira, e Baixa da Banheira, e em femininos as equipas do Cucujães, Donas, Diana, Pedro Pessoa e Ribeirinhos.

A nível individual, o triplo salto será uma ocasião para ver alguns dos melhores atletas mundiais, já que o Benfica inscreveu Pedro Pablo Pichardo e Lecabela Quaresma e o Sporting Nelson Évora, Patrícia Mamona e Evelise Veiga (só uma irá competir).

No peso, Marco Fortes estará pelo Sporting, enquanto que o Benfica ainda vai ter de optar entre Tsanko Arnaudov e Francisco Belo.

O Benfica deve jogar um dos seus 'trunfos' estrangeiros nos 5.000 metros, com o queniano Edward Zakayo, ainda júnior, mas já com resultados de nível mundial. O Sporting também tem um queniano, Davis Kiplangat.

A final da primeira divisão terá transmissão direta em 'live streaming' na página de youtube da Federação Portuguesa de Atletismo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.