A coordenadora do atletismo do Benfica, Ana Oliveira, considerou que este é “um campeonato do medo”, apontando vários erros dos juízes nas diferentes provas, que decorreram em Leiria.

“Foi no triplo salto, dardo, marcha. Isto é um campeonato do medo. Estamos sempre com medo daquilo que pode acontecer. Não conseguimos estar descansados, porque pode haver uma tendência para um lado ou para o outro. Quem pode falhar são os atletas”, afirmou Ana Oliveira, no final dos campeonatos nacionais de clubes da I divisão, onde o Benfica se sagrou campeão no setor masculino.

A técnica lamentou algumas decisões tomadas: “Ou é nulo ou não é nulo, ou é linha ou não é linha, ou marcha ou corre. Os juízes, muitas vezes, não erram por maldade, mas não podem depois dizer que foi um lançamento de longe tem de ser nulo e se fosse perto não era nulo. Não conseguimos digerir e trabalhar esta informação. É nulo é nulo. Já que tomam as atitudes, têm de ser imperativos.”

“O atleta não pode discordar da opinião do juiz, porque se ele for imparcial, profissional e competente... Quando há um, mas que nos deixa gaivotas no ar... Nós somos águias e queremos seguir em frente, voar alto, mas com toda a legitimidade e imparcialidade”, sublinhou.

Ana Oliveira lembrou que o atletismo é uma “modalidade muito objetiva”, em que “as novas tecnologias estão sempre à frente e até são exemplo para outras modalidades”.

Por isso, defendeu que “se deve fazer uma grande reciclagem aos juízes, não apenas no aspeto técnico, como também no aspeto da imparcialidade e do bom senso, para criar o espetáculo”.

“As pessoas vêm aqui para apoiar os seus atletas, as suas equipas e ver atletismo de alto nível como tivemos”, com a presença de “campeões da Europa, campeões do mundo, campeões olímpicos e o espetáculo não pode ser estragado por pequenas distrações”.

Para Ana Oliveira, esta prova é a “grande festa do atletismo nacional” e da “sobrevivência do atletismo nacional”, pois “são os clubes que alimentam toda a formação e alta competição em Portugal”.

A coordenadora está feliz com o 31.º título do atletismo e o nono consecutivo. “Quero dar os parabéns à minha equipa, agradecer a toda a estrutura Benfica, liderada pelo nosso presidente, porque continuam a acreditar e a dar-nos, de forma mais segura, todas as ferramentas para podermos chegar aqui e proporcionar todo este espetáculo do atletismo.”

Endereçando os parabéns ao Sporting “pela luta que deu” e pela vitória nos femininos, Ana Oliveira salientou que os resultados também se devem “ao grande rigor e trabalho” que o Benfica tem feito “na formação, ao longo de 15 anos, com estratégia, visão e paciência”.

“Grande parte da nossa formação é hoje a equipa do Sporting. Não nos sentimos abalados por isso. Continuamos a formar para ganhar. Temos um projeto olímpico associado e criámos a academia olímpica. Temos de ser mais ambiciosos, pensar mais em projeto olímpico, não em quantidade, a ver quem é que leva mais pessoas aos jogos olímpicos, mas a pensar na alta competição”, adiantou a técnica, ao considerar que esta não é apenas uma missão benfiquista, mas também nacional.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.