As corridas virtuais criadas pelo Maratona Clube de Portugal para contornar as limitações impostas pela pandemia de covid-19 estão esgotadas, anunciou hoje o clube, divulgando que recebeu mais de 60 mil inscrições.

Em comunicado, o Maratona Clube de Portugal avança que a iniciativa vai reunir mais de 10 mil participantes, entre os quais alguns estrangeiros, o que a organização considera "um número extraordinário" e que "comprova a vontade da comunidade em se manter ativa".

As corridas virtuais propõem aos atletas fazerem sete corridas, podendo cada uma ser realizada num período proposto de 3 dias, com distâncias variáveis. As provas podem ser feitas em casa ou na rua, desde que respeitando as normas de segurança da Direção-Geral da Saúde, nomeadamente correndo na área de residência e cumprindo o distanciamento social.

"Estávamos otimistas, mas estes números ultrapassam as nossas melhores expectativas. O Maratona e os seus parceiros estão muito felizes com a adesão e com o impacto que esta iniciativa está a provocar. Cativar 10 mil pessoas em duas semanas para participarem em corridas virtuais é um número fantástico e estimulante para nós, ainda mais quando a grande maioria dos participantes se inscreveram nas 7 provas, gerando mais de 60 mil inscrições, no conjunto das provas. Isto é desafiante. Isto é o Maratona", afirma Carlos Moia, presidente do Maratona.

Perante esta adesão, o Maratona Clube de Portugal já está a pensar em novas iniciativas para lançar depois do verão, que poderão passar por provas reais, "de participação limitada e naturalmente respeitando as regras de segurança definidas" ou, na eventualidade de não se reunirem ainda as condições para a realização de eventos de estrada, manter o modelo virtual.

Seja qual for o formato, o Maratona garante que as iniciativas a realizar terão sempre um caráter solidário e o objetivo de angariar fundos para causas sociais.

"A pandemia, para além das situações médicas trágicas que todos conhecemos, teve um impacto muito grave na nossa economia. O Maratona Clube de Portugal, como tem sido o seu desígnio desde a sua fundação, encontrou sempre formas de ajudar a comunidade através de associações de solidariedade social. Agora mais do que nunca, iremos encontrar uma forma para que as nossas iniciativas futuras contribuam para causas sociais", finaliza Carlos Moia.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 357 mil mortose infetou mais de 5,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Portugal contabiliza pelo menos 1.369 mortos associados à covid-19 em 31.596 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado na quinta-feira.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.