O período de qualificação no atletismo para os Jogos Olímpicos Tóquio2020 foi suspenso até 30 de novembro, inclusive, devido à pandemia de covid-19, anunciou hoje a ‘World Athletics’ em comunicado.

A medida, hoje anunciada, faz com que os resultados que possam ser atingidos, por marca ou por ‘ranking', durante este tempo não sejam considerados para o apuramento para Tóquio2020, adiado para 2021.

A publicação dos ‘rankings' será suspensa, ainda que os resultados "continuem a ser gravados para efeitos estatísticos, como recordes do mundo".

"Sujeito ao regresso ao normal da situação no mundo, o período de qualificação vai ser retomado em 01 de dezembro e continuar até ao novo prazo limite, em 2021, definido pelo Comité Olímpico Internacional. A totalidade do período de qualificação, que arrancou em 2019, será quatro meses mais longo do que inicialmente previsto", pode ler-se no comunicado da federação internacional.

Segundo a tabela disponibilizada pela ‘World Athletics', os novos períodos decorrem até 29 de junho, por ‘ranking' e por marca, na maior parte dos eventos, com a exceção da maratona e dos 50 km marcha, que terminam em 31 de maio.

A medida, que não abrange atletas já qualificados, permite harmonizar o processo de qualificação caso, como a World Athletics espera, as competições voltem a arrancar muito antes em algumas partes do mundo do que em outras, trazendo mais desigualdade para o processo.

Metade dos trabalhadores da World Athletics, sediada no Mónaco, não vai trabalhar a partir de hoje, recebendo, ao abrigo de uma licença concedida pelo Estado monegasco, o salário por inteiro.

O objetivo, explicou o presidente, Sebastian Coe, citado em comunicado, é que a associação se foque "apenas em atividades críticas no curto prazo, que ajudem com a gestão financeira e a proteger empregos no longo prazo".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de COVID-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 75 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), registaram-se 345 mortes 12.442 casos de infeções confirmadas, contando-se 184 doentes recuperados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.