A federação de atletismo britânica revelou hoje a renúncia do seu diretor técnico nacional (DTN), Neil Black, em reflexão sobre o seu futuro após a suspensão, por incitamento ao doping, de Alberto Salazar, ex-treinador de Mo Farah.

USADA diz que atletas treinados por Alberto Salazar eram "animais de laboratório"
USADA diz que atletas treinados por Alberto Salazar eram "animais de laboratório"
Ver artigo

Para que seja garantida uma transição menos complicada, a saída do DTN acontecerá somente no final de outubro, precisou a federação, em comunicado.

Alberto Salazar, que orientou o multicampeão olímpico Mo Farah entre 2011 e 2017, foi acusado e punido com quatro anos de suspensão pela entidade antidoping norte-americana (USADA) por traficar testosterona, adulterar o processo de controlos antidoping e administrar substâncias proibidas através da via intravenosa, juntamente com o médico Jeffrey Brown.

Em 2013, a Federação Britânica de Atletismo contratou Salazar como consultor do seu programa de resistência, sendo que Neil Black, em funções desde 2012, o classificou como um “génio”.

Nike no olho do furacão por escândalo de doping no atletismo
Nike no olho do furacão por escândalo de doping no atletismo
Ver artigo

No início da investigação da USADA, que levou a essa sanção por factos ocorridos em 2015, Salazar era treinador, entre outras estrelas internacionais, de Mo Farah, já bicampeão olímpico em Londres2012 nos 5.000 e 10.000, títulos que repetiu no Rio2016.

A federação examinou o relacionamento entre Salazar e Farah e concluiu que “não há motivo para preocupações”: nas investigações, nada há que incrimine o DTN.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.