Muito choro, mas também muita alegria. Foi assim o terceiro dia dos Campeonatos do Mundo de Atletismo, que estão a decorrer em Doha, no Qatar.

O dia começou com alegria para o povo português. João Vieira provou que velhos são os trapos e aos 43 anos - que na sua cabeça são uns meros 23 anos - conquistou a medalha de prata na prova masculina dos 50 quilómetros marcha. Foi o primeiro pódio luso nesta competição.

Menos sorte teve o também português Pedro Pablo Pichardo que terminou em quarto na prova do triplo salto, a centímetros da medalha de bronze.

O esperado duelo no triplo entre os norte-americanos Christian Taylor e Will Claye, que já saltou 18,14 metros este ano, cumpriu todas as expectativas. Taylor começou com dois nulos, mas acedeu aos últimos três saltos com um ensaio conservador (17,42) e embalou para um concurso de grande nível.

Confira as melhores imagens do terceiro dia de prova

Com 17,92 metros, Taylor acrescentou uma nova medalha de ouro às de 2017, 2015 e 2011, relegando Claye para a prata, com 17,74. Hugues Fabrice Zango, do Burkina Faso, saltou para o pódio no último ensaio (17,66) e negou a Pichardo a sua terceira medalha, depois da prata conquistada em 2013 e 2015, ainda em representação de Cuba.

A marca de 17,62, feita à quarta tentativa, é a melhor do ano do luso-cubano e valia o bronze à entrada para a última ronda, mas fica para a 'história' como a melhor de sempre de um quarto classificado em Mundiais - teria valido uma medalha na maioria das edições.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.