Em 2016, Nelson Évora deixou o Benfica para se mudar para o Sporting. Recentemente, o antigo treinador do atleta nas 'águias', João Ganço, disse que sofreu de faltas de respeito e perseguições depois da mudança de Évora. Agora foi a vez do próprio atleta abordar a situação, em entrevista ao 'Público'.

A mudança

Atualmente, Nelson Évora é treinado por Iván Pedroso e admite que os métodos de trabalho dos dois treinadores são muito diferentes. "Talvez não se consiga ver diferenças, mas eu já as sinto. O esquema mental de corrida e do salto são completamente diferentes. Para ser sincero, já nem sequer me lembro do esquema de antes. Tive de fazer uma limpeza total, recomeçar do zero e construir tudo outra vez e é estranho como o nosso corpo se adapta e a nossa mente reconstrói tudo. Restam os últimos dez por cento que falta mudar. Quando isso acontecer, tenho a noção de que virão grandes saltos", explica o atleta.

O treinador

Quanto à relação com João Ganço, o atleta português afirma que houve momentos difíceis, mas que a amizade ainda se mantém. "Ficou uma relação normal de duas pessoas que viveram tantos momentos importantes. Houve um momento em que as coisas não correram bem, mas tudo está esquecido, já passou. Quando nos vimos, falámos tranquilamente, de como vão as coisas", disse Nelson Évora.

Ainda sobre o antigo treinador, o recordista acrescentou que "sou das pessoas que melhor conhece o professor João Ganço, e ele é das pessoas que melhor me conhece. Sei que ele está bem, que a vida continua. Sei que tem novos projectos e eu também. Mas não há muito mais do que isso. Não vou dizer que é uma relação tão forte como tínhamos – não é. Não foi um final feliz, foi um final muito amargo para mim. Mas não guardo rancores. Aprendi. Umas vezes aprendemos da melhor forma, outras vezes aprendemos da pior forma. Mas faz parte da vida."

Os recordes

Até ao passado mês de maio, o recorde nacional de triplo salto era de 17,74m e tinha sido fixado por Nelson Évora em 2007. Nessa altura, o saltador Pedro Pablo Pichardo fixou o novo recorde nacional do triplo salto, ao chegar aos 17,95 metros no Meeting de Doha da Liga Diamante.

No entanto, Nelson Évora não pretende ficar sem o recorde durante muito tempo. "Vou trabalhar o máximo que puder para recuperar o recorde e acredito que o consiga fazer até Tóquio. Isso ou até mais. Tenho de me manter focado e acreditar que posso continuar a quebrar barreiras. Vou melhorá-lo? Vou. Esse é o meu objectivo e dar essa alegria aos portugueses. O que está no papel dos recordes não me incomoda e não me incomodou. Eu estava lá presente, OK, boa, a vida continua. O que é que as pessoas vão recordar, o recorde ou os títulos?", questiona.

Pichardo

Quanto à relação com o atleta do Benfica, Nelson Évora garante que "não tenho nenhum problema com o Pichardo, ele é que deve ter algum problema comigo." Isto depois de Pedro Pablo ter ficado de fora dos Europeus de Atletismo porque a Associação Europeia de Atletismo não respondeu a tempo ao pedido da Federação Portuguesa da modalidade para este participasse.

O pedido está ligado ao facto de Pichardo, de origem cubana, só ter adquirido nacionalidade portuguesa em dezembro de 2017. Depois de Évora ter conseguido o título, Pichardo deixou uma mensagem nas redes sociais dirigida ao atleta do Sporting em que dizia "sem a minha presença é fácil".

Sobre essa situação, Évora afirmou que "é frustração porque tudo foi tão fácil e chegou um momento em que ele não entendeu por que razão não aconteceu [estar nos Europeus]. Eu tive de esperar 11 anos pela nacionalidade. Quando cheguei a Portugal os meus pais já tinham posto os papéis. Para o meu pai foram 14 ou 15 anos. Para mim, foram 11. Podem comparar e falar de direitos, mas ignoro e não quero alimentar essa história. Estou tranquilo, fui ao Campeonato da Europa, ganhei e bato no peito. Estou aqui a dar a entrevista em português e não é preciso meter legendas, quando penso em comida penso em comida portuguesa, e todas as minhas vivências são daqui. Sou filho de africanos, percebo crioulo, percebo francês, mas expresso-me é em português, escrevo e falo português, andei na escola portuguesa. Quem quiser comparar, que compare."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.