A Federação Russa de Atletismo (FRA) garantiu hoje que recorrerá aos tribunais caso os atletas do país sejam impedidos de participar em competições internacionais sob bandeira neutra.

“A privação do estatuto de neutralidade é uma violação monstruosa dos direitos dos desportistas. Considero que é necessário defendê-los em tribunal”, afirmou Yevgueni Yurchenko, presidente da FRA, ao canal televisivo russo Match.

Na quinta-feira, a World Athletics anunciou a suspensão temporária do programa de integração de atletas russos que têm competido sob bandeira neutra em provas internacionais, depois de a Rússia ter falhado o prazo de pagamento de uma multa, que venceu em 01 de julho.

Esta multa, no valor de nove milhões de euros - metade dos quais suspensos - foi imposta pelo facto de a anterior federação russa ter apresentado, em 2017, documentos falsos como álibi para o atleta Danil Lysenko, que falhou um teste de doping.

O presidente da FRA admitiu que a federação não tem meios financeiros para liquidar a multa imposta pela World Athletics, apontando a crise do novo coronavírus como motivo fundamental.

Em março, a World Athletics limitou a 10 o número de atletas que a Rússia poderia apresentar em Jogos Olímpicos, em Mundiais e Europeus e impôs como condição o pagamento de 4,5 milhões de euros antes de 01 de julho.

Falhado o prazo, o programa "atleta neutro autorizado" a competir em eventos internacionais foi suspenso para os russos considerados limpos de doping, que, por isso, têm podido participar em provas, mesmo com a sua federação suspensa.

O atletismo russo encontra-se suspenso internacionalmente desde 2015, na sequência de um mega escândalo de doping.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.