Em declarações à imprensa, após assembleia-geral da Federação Angolana da modalidade (FAB), na Galeria dos Desportos, no Complexo da Cidadela, os representantes das associações provinciais, clubes e outros, reconheceram o mau momento e dificuldades administrativas e financeiras, que afetam o desempenho da especialidade.

Por exemplo, Anselmo Monteiro, da Associação Nacional de Treinadores, referiu estar-se num momento crítico, principalmente pela possibilidade de renúncia do presidente da FAB, Hélder Cruz “Maneda”, que espelha o "ruir do grande império” de triunfos e alegrias do país.

“Devemos lutar e encontrar os mecanismos e formas de coesão na resolução dos problemas do basquetebol”, disse.

O vice-presidente para o basquetebol do Petro de Luanda, Artur Barros, questionou a ausência do relatório e contas da FAB e adiantou que o seu presidente deve oficializar a intenção voluntária de renúncia, para que outros associados possam dar corpo ao processo de resolução e desenvolvimento da modalidade.

“A assembleia não trouxe nada de novo, na medida em que os documentos necessários não foram analisados, por razões que só a direcção da FAB conhece. O basquetebol é coisa séria e não deve viver de chantagens”, aludiu.

Para o antigo presidente da FAB, Pires Ferreira, os dirigentes devem primar por uma postura, trabalho de estabilidade e resgate da mística conquistada, com o sacrifício de toda sociedade.

Posições idênticas foram expressas pelos representantes das associações do Namibe e Huambo, Herberth Rafael e Domingos Malaquias, respetivamente, que coincidentemente advogam o diálogo, união e contribuição dos agentes na resolução dos problemas do basquetebol nacional.

Com a presença das associações e clubes da Huila, Namibe, Huambo, Bié, Benguela e Cuanza Sul, a reunião abordou entre outros temas, a apresentação do pedido de renúncia do presidente de direcção da FAB e a marcação de nova data para apresentação do relatório de contas.

Orientada pelo presidente de mesa da assembleia-geral, Agostinho José Matamba, o encontro tinha sido marcado para 26 de Janeiro do corrente ano.

A oficialização da renúncia ao cargo, por parte de “Maneda”, poderá acontecer nos próximos dias.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.