A formação sénior feminina de basquetebol do 1º de Agosto, ainda longe das exigências, deu um passo importante na perseguição ao troféu da 21ª edição da Taça de África dos Clubes Campeões, ao derrotar, na noite de segunda-feira, o INJS dos Camarões, por 58-40, no acerto da primeira jornada do grupo A, no pavilhão Multiuso do Kilamba, em Luanda.

Os expressivos 18 pontos de diferença não espelham, na realidade, o que se desenrolou em campo, se se ter em conta a postura desinibida das visitantes e a fraca qualidade do basquetebol apresentado pelas donas de casa, que pela segunda vez consecutiva foram incapazes de atingir pelo menos 60 pontos ante um adversário considerado de “outro campeonato”.

A semelhança das jornadas anteriores, o conjunto orientado por Jaime Covilhã revelou-se muito dependente das atletas Leia Dongue, melhor marcadora da partida com 16 pontos, e Ana Gonçalves (14), sem que qualquer outra tivesse chegado aos dois dígitos desde a primeira partida, sábado transato.

Outro fator negativo bastante notório é a improdutividade de cinco influentes jogadoras, que juntas totalizaram somente sete pontos, nomeadamente Isabel Francisco (2), Sónia Guadalupe (3), Nacissela Maurício (2), enquanto Rosa Gala e Marinela Muxiri ficaram em branco

Numa jornada aparentemente acessível, a formação angolana cedo recebeu indícios de vicissitudes, sendo que as camaronesas iniciaram a vencer, aguentando até aos cinco minutos do primeiro quarto (6-5) quando as donas de casa passaram pela primeira vez no placar, por 7-6. O equilíbrio prevaleceu nesse quarto, único em que se registo uma igualdade (11-11) e o 1º de Agosto saiu em vantagem de dois pontos (15-13).

O segundo e terceiro períodos foram os mais produtivos para as comandadas de Jaime Covilhã, pois conseguiram vantagens parciais de 19-2 e 18-13, mas com o pobre basquetebol, acrescido de quebra física, as “militares” foram superadas no último quarto por 12-6, no entanto insuficientes para lhes retirar o terceiro triunfo.

Depois dos 119-25 as burundesas do Berco Stars, as “agostinas” surpreendentemente não ultrapassaram os 58 pontos e têm estado a consentir mais a cada jornada, visto que passaram com exibições pouco convincente, domingo, pelo Desportivo do Maculusso, por 58-37, e segunda-feira pelo INJS dos Camarões, por 58-40, mas apesar disso mantêm a liderança do grupo A com seis pontos, os mesmos que o Dolphins da Nigéria.

Para terminar a fase de grupos no topo, objetivo primordial na corrida ao ceptro, terá que ganhar os jogos restantes frente o Radi do Congo Democrático, terça-feira, e Dolphins, no dia seguinte. Caso venha a acontecer, poderá cruzar nos quartos-de-final com KCCA do Uganda ou USIU do Quénia, atuais terceiro e quarto classificado do grupo B.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.