O técnico da seleção sénior masculina de basquetebol, Willian Voigt, afirmou à Angop ter contado com o apoio da equipa técnica e jogadores na queixa que efetuou ao Tribunal Arbitral dos Desportos, devido a divida de cerca de 500 mil dólares (mais de 450 mil euros) da Federação Angolana da modalidade.

Em declarações via WhatsApp, em que abordou outros aspectos que envolvem a relação com o órgão nacional, o norte-americano disse que informou o grupo de trabalho sobre a decisão de levar o caso ao tribunal, em nome de todos na sua condição, e que foi apoiado.

Explicou ter apresentado uma proposta de pagamento dos seus ordenados em cinco anos, caso fosse imediatamente resolvida a situação dos colaboradores, mas não obteve resposta por parte da Comissão de Gestão da Federação, liderada por Gustavo da Conceição.

Esclareceu que na dívida estão incluídas taxas de atraso dos pagamentos, como determina o contrato, sem, no entanto, especificar números alegando que foi desaconselhado pelo seu advogado.

Contratado em 2017 para treinar os hendecacampeões africanos, Voigt contou com dois compatriotas na equipa técnica e igual número de angolanos, nomeadamente, José Carlos Guimarães e Walter Costa.

O primeiro demitiu-se em 2018, alegando descriminação e falta de transparência por parte do treinador principal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.