A Federação Angolana de Basquetebol (FAB) deve negociar o contrato e o pagamento da dívida, de cerca de 500 mil dólares (mais de 450 mil euros) com o selecionador nacional sénior masculino, o norte-americano William Voigt.

A orientação foi dada pela ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto, durante um encontro, terça-feira, em Luanda, com a Comissão de Gestão, liderada por Gustavo da Conceição, e o presidente federativo demissionário, Hélder da Cruz “Maneda.

Na sequência do valor a ser saldado pela FAB e dada a ausência de diálogo entre as partes, Voigt intentou uma ação judicial junto do Tribunal Arbitral do Desporto, instituição que já notificou Angola.

A intenção é encontrar consensos extras-judiciais sem custos adicionais para o erário público, numa altura em que treinador, em entrevista recente à Angop, via WhatsApp, mostrou-se disponível ao diálogo.

Explicou ter apresentado uma proposta para o pagamento dos seus ordenados em cinco anos, caso fosse resolvida imediatamente a dívida com os seus colaboradores, mas não obteve resposta.

O contrato com o Voigt, celebrado em 2017, termina com a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em Agosto próximo. O evento foi adiado para 2021 devido a propagação mundial do novo Coronavírus.

No entanto, já é público que a federação procura outro selecionador no mercado nacional, estando na corrida, de acordo com o perfil traçado, Raul Duarte (vinculado ao Interclube) e Carlos Dinis (ASA).

A lista íntegra ainda Manuel Silva “Gi” (Universidade Lusíada), Paulo Macedo (diretor técnico da escola de formação do 1º de Agosto), José Carlos Guimarães (diretor da academia do 1º de Agosto) e o camaronês Lazaré Adingono (Petro de Luanda).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.