A Euroliga de basquetebol pretende fechar a época 2019/20 de 04 a 26 de julho, num único lugar, realizando à porta fechada os 54 jogos da época regular que faltam disputar e, depois, uma ‘final a 8’.

Segundo anunciou hoje a organização da competição, suspensa desde 12 de março devido à pandemia da COVID-19, os clubes aprovaram esta medida por unanimidade, mas em cima da mesa também está o cancelamento da época, tendo ficado determinado que será tomada uma decisão definitiva até 24 de maio.

De acordo com a Euroliga Basquetebol, responsável pela Euroliga e também pela Eurocup, o regresso das competições só poderá ser uma realidade se as autoridades sanitárias e os diversos governos deram autorização.

A principal competição europeia de clubes conta com 28 jornadas disputadas, de 34, com os turcos do Efes a liderarem, com 24 triunfos, mais dois do que Real Madrid e FC Barcelona e cinco face a CSKA Moscovo e Maccabi Telavive – estas cinco equipas já tinham garantido um lugar nos oito primeiros.

Se for dado o ‘ok’ para a época prosseguir, então haveria uma quarentena de 29 de maio a 11 de junho e um campo de treinos de 12 de junho a 02 de julho.

A competição arrancaria a 04 de julho, prolongando-se até 17, no caso da Eurocup, e até 26, no que respeita à competição ‘rainha’, a Euroliga. Cada prova deveria ter a sua sede e os jogos seriam todos realizados à porta fechada.

A pandemia de COVID-19 já provocou perto de 184 mil mortos e infetou mais de 2,6 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Cerca de 700 mil doentes foram considerados curados.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram, entretanto, a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos, como Dinamarca, Áustria, Espanha ou Alemanha, a aliviar algumas das medidas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.