O grego Giannis Antetokounmpo (Milwaukee Bucks) foi eleito segunda-feira o ‘Jogador Mais Valioso’ (MVP) da época regular da Liga norte-americana de basquetebol (NBA) de 2018/19, tornando-se o segundo europeu a recebê-lo, 12 anos após o alemão Dirk Nowitzki.

Em Santa Mónica, num discurso emocionado, e entre muitas lágrimas, o jovem grego, de 24 anos, agradeceu a Deus, à família, nomeadamente ao pai, falecido em 2017, com 54 anos, à mãe e aos irmãos, aos treinadores e companheiros de equipa.

“O meu objetivo é ganhar um campeonato e vou fazer tudo para que isso aconteça. O meu pai disse-me sempre para querer mais, mas sem ser ganancioso”, disse Antetokounmpo, que somou médias de 27,7 pontos, 12,5 ressaltos, 5,9 assistências, 1,5 desarmes de lançamentos e 1,3 roubos de bola, em 32,8 minutos.

Na votação para MVP, o grego superou James Harden (Houston Rockets), que tinha sida eleito em 2017/18, e Paul George (Oklahoma City Thunder).

O treinador do ano foi Mike Budenholzer, que conduziu os Bucks e Antetokounmpo ao melhor registo da fase regular, com 60 vitórias e 22 derrotas – derrotou na votação Michael Malone (Denver Nuggets) e Glenn ‘Doc’ Rivers (Los Angeles Clippers).

Quanto ao melhor jogador defensivo, o francês Rudy Gobert, poste dos Utah Jazz, repetiu o triunfo da época passada, tornando-se o sétimo a ‘bisar’. Mais, só Dikembe Mutombo e Ben Wallace, com quatro, e Dwight Howard, com três.

O prémio de ‘rookie’ (estreante) do ano foi para o base esloveno Luka Doncic, de 20 anos, proveniente do Real Madrid, que se tornou também o segundo europeu a vencer o troféu, depois do espanhol Pau Gasol, em 2001/2002, ao serviço dos Memphis Grizzlies.

O jogador dos Dallas Mavericks, que bateu Trae Young (Atlanta Hawks) e Deandre Ayton (Phoenix Suns), acabou a época regular de 2018/19 com médias de 21,2 pontos, 7,8 ressaltos e 6,0 assistências, em 25,9 minutos por embate.

O melhor sexto jogador foi pela terceira vez, e segunda consecutiva, o trintão Lou Williams (Los Angeles Clippers), enquanto o jogador que mais progrediu foi o camaronês Pascal Siakam, dos novos campeões Toronto Raptors.

O base Mike Conley, dos Memphis Grizzliers, teve, por seu lado, direito a dois prémios, um por ter sido considerado o melhor companheiro de equipa e outro como o maior desportista, e Marcus Smart (Boston Celtics) levou o ‘Hustle Award’.

Pelo que fez à margem do basquetebol, nomeadamente no apoio à comunidade, também Bradley Beal (Washington Wizards) foi premiado.

A NBA galardoou ainda duas das suas maiores lendas de sempre, pelo que deram ao basquetebol, dentro e fora do campo: Magic Johnson e Larry Bird, que sucederam, no ‘Lifetime Achievement Award’, a Bill Russell (2016/17) e Óscar Robertson (2017/18).

Ainda foi premiada a jornalista norte-americana Robin Roberts, que recebeu o ‘Sager Strong Award’, como “exemplo de coragem, fé, compaixão e graça”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.