A NBA recomendou às suas equipas que não façam testes de COVID-19 em jogadores que não apresentam sintomas da doença, ao considerá-lo inadequado, dada a falta de amplo acesso ao teste nos Estados Unidos da América, informou a ESPN na passada esta sexta-feira.

A NBA sublinhou que "de momento, não é apropriado, no ambiente atual de saúde pública, testar regularmente todos os jogadores e funcionários", informou a ESPN, citando fontes do organismo.

A NBA recebeu críticas em março passado, quando, após o contágio de Rudy Gobert, que levou à suspensão da temporada, algumas equipas foram autorizadas a testar todos os seus jogadores para COVID-19, numa época em que havia escassez desses exames nos Estados Unidos.

No geral, a disponibilidade desses testes no país continua abaixo dos níveis recomendados pelos especialistas em saúde. Os especialistas acreditam que essa situação tem que ser melhorada antes que o desporto profissional possa obter e usar o grande volume de exames necessários para retomar os jogos com segurança.

Segundo a ESPN, a NBA estima que seriam necessários cerca de 15.000 testes para se voltar a jogar e completar a temporada.

O memorando aconselha os jogadores a tomarem qualquer decisão sobre os testes "em consulta com um especialista em doenças infecciosas, e considerando as circunstâncias individuais do paciente e orientações sobre testes relacionados com a COVID-19 dos CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças) e a autoridade sanitária local".

As equipas da NBA estão a prepara-se para volta à competição a partir de 8 de maio, quando os treinos individuais serão permitidos nas instalações dessas franquias localizadas em áreas onde as autoridades permitirem essas atividades.

Há algumas semanas, o comissário da NBA Adam Silver disse que as decisões sobre o futuro da temporada, se for possível concluí-la e em que formato, seriam tomadas esta semana.

Os Estados Unidos registam mais de um milhão de casos de contágio e mais de 63.000 mortes pelo vírus, segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.