A NBA planeia pagar os salários na totalidade, tal como planeado, no próximo dia 1 de abril, mas pode começar a corta-los para recuperar o dinheiro perdido com o cancelamento de jogos a partir de 15 de abril, revela a ESPN este sábado.

Citendo um memorando partilhado pela Liga Norte-Americana de Basquetebol com os clubes na sexta-feira, o site desportivo afirma que a liga poderá começar a cortar slários com base numa clausula de "força maior" presente no acordo coletivo com os jogadores.

A NBA interrompeu a época no dia 11 de março depois de Rudy Gobert, dos Utah Jazz ter testado positivo para o novo coronavírus, o que suspendeu a liga em todos os Estados Unidos da América.

De acordo com o memorando, a NBA irá avisar as equipas sobre os seus planos antes do dia de pagamentos de 15 de abril. Seria nesse dia que a fase regular da NBA terminava, antes da competição ter sido suspensa devido à pandemia de Covid-19.

De acordo com os termos acordados entre a NBA e os jogadores, a liga norte-americana pode reter uma percentagem do salário de um jogador numa situação catastrófica que force os jogos a serem cancelados, incluindo uma pandemia.

É incerto quanto, ou se, a NBA poderá retomar a época (que ainda tinha um mês em falta) ou realizar alguns playoffs.

A liga pode reter o dinheiro pela cláusula de desastres, a curto prazo e devolver aos jogadores mais tarde, se os jogos acabarem por ser realizados.

Os donos da NBA, que se preparam para a eventualidade da época não ser retomada, encontram-se à procura de datas nas arenas de jogos até agosto, na esperança de conseguir concluir de alguma forma a época de 2019/2020.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.