Os dirigentes da agremiação desportiva Club Desportivo Atlético dos Mosteiros, oficializado em setembro de 2014, ponderam abandonar o campeonato regional de basquetebol por falta de condições para treinos e realização de jogos.

João Vieira, um dos responsáveis do clube, disse que neste momento, nenhum dos polivalentes dos Mosteiros, dispõe de tabelas que permitem a sua equipa realizar treinos, não obstante a solicitação quer dos dirigentes do Atlético quer da própria associação regional de basquetebol, que chegou de elaborar projetos para confeção de um par de tabelas.

Este responsável acrescentou que, além de futebol, o Atlético desenvolve outras modalidades, como voleibol (duas equipas), basquetebol (duas equipas) e andebol (duas equipas) e escolas de iniciação desportivas, envolvendo a camada masculina e feminina, mas questiona a falta de critérios na atribuição de apoios financeiros e na criação de condições físicas para o desenvolvimento das modalidades de salão.

Segundo João Viera, a sua equipa estava a treinar numa das escolas do Ensino Básico integrado, pólo de Queimada Guincho, que dispõe de uma tabela, mas que por coincidir com as actividades lectivas, o gestor do pólo os proibiu de utilizar o espaço.

Explicou que neste momento não dispõe de condições para a prática de actividades desportivas e que se a situação permanecer a equipa de júnior e sénior de basquetebol vão abandonar a prova.

João Vieira afirma que está a endereçar pedidos de apoios a algumas instituições para mobilizar meios para confeccionar ao menos uma tabela que lhes permitem efectuar treinos.

Outra questão com a qual a direção do Atlético não conforma é a atribuição de subsídio financeiro, indicando que a edilidade atribuiu às equipas do primeiro escalão um apoio de 80 contos e as de segunda divisão, onde está o Atlético, o valor de 50 contos.

Para o responsável, o valor é destinado para a prática do futebol, razão pela qual pede a edilidade mais subsídios porque, segundo adiantou, desenvolvem outras modalidades, visando a criação de região desportiva.

No seu entende, devia haver uma discriminação positiva, até para incentivar as outras equipas a desenvolverem novas modalidades.

Para as modalidades de salão, andebol, basquetebol e voleibol, as equipas do Atlético são obrigadas a deslocar-se a São Filipe para a realização dos jogos, já que Mosteiro não dispõe de condições.

Informou que cada viagem custa, no mínimo, seis mil escudos, sendo que anualmente só com transporte esta agremiação desportiva gasta cerca de 150 contos, tendo solicitado a edilidade um terço deste valor, mas sem nenhuma resposta.

O surgimento do Club Desportivo Atlético dos Mosteiros, segundo os seus dirigentes, tem por finalidade desenvolver a prática de outras modalidades no concelho, dar maior atenção à formação e levar as mulheres a praticarem as modalidades desportivas.

Lembrou que o município já dispõe de equipas de voleibol (sénior masculino e feminino), basquetebol (sénior e júnior masculino), andebol (sénior e sub-20 masculino), escola de iniciação de basquetebol, andebol e voleibol.

A tentativa de ouvir a versão da edilidade não foi possível, já que o vereador do Desporto, Fábio Vieira, encontra-se numa missão na China, e o edil Carlos Fernandinho Teixeira, encontra-se em missão, em Portugal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.