O ciclista francês Nacer Bouhanni (Cofidis) venceu esta segunda-feira ao 'sprint' a segunda etapa do Critério do Dauphiné, em França, na qual o primeiro 'aperitivo' de montanha não teve consequências significativas.

Após os 173 quilómetros que ligaram Le Bourget-du-Lac a Villars-les-Dombes, o britânico Peter Kennaugh (Sky), vencedor da primeira etapa, conservou a camisola amarela, símbolo da liderança, ao chegar integrado no pelotão, com o mesmo tempo do vencedor, à semelhança dos cinco portugueses presentes.

Bouhanni, que cumpriu a etapa em 4:23.46 horas e somou a quarta vitória da temporada, impôs-se na reta final ao compatriota Samuel Dumoulin (AG2R La Mondiale) e ao italiano Sacha Modolo (Lampre-Merida), que na véspera foi o segundo, encabeçando o pelotão atrás de Peter Kennaugh.

"Estou muito contente pela equipa, foi uma grande vitória e estou muito feliz. As condições eram as ideais e os meus colegas fizeram um excelente trabalho", afirmou o gaulês no final da etapa.

José Mendes (Bora-Argon 18), em 18.º lugar, Tiago Machado (Katusha) e Rui Costa (Lampre-Merida), que chegaram juntos, em 35.º e 36.º, respetivamente, e Bruno Pires (Tinkoff-Saxo), em 46.º, e Nelson Oliveira (Lampre-Merida), em 72.º, terminaram com o mesmo tempo de Bouhanni.

Mal começou a etapa, formou-se uma fuga com Daniel Teklehaimanot (MTN-Qhubeka), líder da montanha, Arnaud Coureille (FDJ), o autor da inicitiva, e Perrig Quéméneur (Europcar), que chegaram ao topo do Col de Cuvéry, contagem de montanha de primeira categoria, com 6.45 minutos de avanço.

Depois de Teklehaimanot aproveitar para 'fixar' ao corpo a camisola dos pontos vermelhos, passando em primeiro na montanha, o trio insistiu na escapada ao longo dos 99 quilómetros que restavam, mas a Cofidis e a Lampre, interessadas no 'sprint', impuseram um ritmo que anulou a fuga a três quilómetros da meta.

O desfecho não trouxe mudanças profundas à geral, que continua a ser liderada por Kennaugh, agora com dois segundos de vantagem sobre Modolo e Bouhanni, enquanto a maioria do pelotão permanece a 12 segundos, nomeadamente os portugueses: Mendes (13.º), Costa (17.º), Pires (24.º), Machado (26.º) e Oliveira (46.º).

Alguns dos principais corredores que preparam aqui a presença na Volta a França, como Christopher Froome (Sky), vencedor de ambas em 2013, Vincenzo Nibali (Astana), campeão do 'Tour' no ano passado, Alejandro Valverde (Movistar), ganhador do Dauphiné em 2008 e 2009, e Andrew Talansky (Cannondale-Garmin), seguem também a 12 segundos do líder.

Mas a hierarquia poderá alterar-se na terça-feira, na terceira etapa, que será disputada em formato de contrarrelógio por equipas, com 24,5 quilómetros entre Roanne e Montagny.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.