A dupla portuguesa de ciclistas composta por Iuri Leitão e Ivo Oliveira terminou hoje no 14.º lugar na prova de madison no Mundial de pista, em Berlim, insuficiente para o apuramento para os Jogos Olímpicos Tóquio2020.

Portugal precisava de recuperar um atraso de 470 pontos para Hong Kong no ‘ranking’ de apuramento olímpico, que durou dois anos, além de evitar que os irlandeses somassem mais pontos do que a dupla lusa.

Os 50 quilómetros da prova - 200 voltas à pista berlinense – ditaram um prematuro afastamento de Hong Kong, por ter perdido uma volta para o pelotão, mas os lusos foram vítimas da mesma situação na segunda metade da prova, enquanto os irlandeses não cederam e ainda pontuaram no penúltimo ‘sprint’.

Portugal terminou a corrida na 14.ª posição, com 17 pontos negativos, os irlandeses fecharam a prova no 11.º lugar, com três pontos, e Hong Kong foi a 17.ª nação no Mundial, com 20 pontos negativos.

Feitas as contas que mais interessavam, a Irlanda ficou em posição de apuramento, enquanto Portugal e Hong Kong ficaram de fora, pelo que, conforme indica a federação portuguesa, “a representação nacional [em Tóquio2020] será, assim, exclusivamente feminina, em omnium”, através de Maria Martins, a confirmar oficialmente na segunda-feira pela federação internacional.

“Quando Hong Kong ficou de fora tínhamos apenas de controlar a Irlanda. No entanto, ficámos numa situação crítica na retaguarda e não conseguimos recolar. Foi aí que perdemos o apuramento. O Iuri e o Ivo deram o seu melhor, mas não foi suficiente. O grupo de atletas que participou neste processo de qualificação tem potencial, mas é necessário aperfeiçoar e melhorar vários aspetos”, disse o selecionador nacional, Gabriel Mendes.

Em declarações publicadas no sítio oficial na Internet do organismo federativo, o responsável recordou que este foi o primeiro processo de qualificação em que Portugal participou do princípio ao fim, “com sucesso no caso feminino”.

“Entre os masculinos o processo foi muito irregular desde o Mundial de 2019, com várias lesões que condicionaram o trabalho. Aprendemos muito nestes dois anos, mas é preciso fazer melhor e é nisso que nos devemos focar no futuro próximo”, completou o selecionador.

Maria Martins foi hoje 16.º na corrida por pontos, com dois, em prova vencida pela britânica Elinor Barker, com 50, seguida da estadunidense Jennifer Valente, com 34, e da norueguesa Anita Yvonne Steiberg, com 33.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.