O ciclista britânico Chris Froome vai deixar a INEOS no final da temporada, confirmou hoje a equipa britânica, colocando um ponto final nas especulações sobre o futuro do quatro vezes vencedor da Volta a França.

“O atual contrato do Chris termina em dezembro e tomámos a decisão de não o renovar. Estamos a fazer este anúncio mais cedo do que seria habitual para por um ponto final nas recentes especulações, de modo a permitir que a equipa se centre na próxima época”, justificou o diretor geral da INEOS, Dave Brailsford, numa nota publicada no site da formação britânica.

O ‘divórcio’ hoje anunciado ocorre depois de semanas de especulações sobre o futuro do quatro vezes vencedor do Tour (2017, 2016, 2015 e 2013), que perdeu ‘peso’ na equipa após os triunfos na prova francesa dos seus colegas Geraint Thomas, em 2018, e Egan Bernal, no ano passado.

“O Chris está connosco desde o início. Ele é um grande campeão e partilhámos muitos momentos memoráveis ao longo dos anos, mas creio que esta é a decisão certa para a equipa e para o Chris. Dado os seus feitos na modalidade, o Chris compreensivelmente deseja ser o líder único de uma equipa no próximo capítulo da sua carreira – o que é algo que não podemos garantir-lhe neste momento. A saída da INEOS pode dar-lhe essa garantia”, assumiu Brailsford.

Ao mesmo tempo, refere o ‘patrão’ da INEOS, a saída de Froome também permitirá a outros membros da equipa “terem as oportunidades de liderança que mereceram e procuram justamente”.

Numa declaração mais sucinta, o britânico, de 35 anos, recordou a década “fenomenal” que passou na formação mais poderosa do ciclismo mundial – integrou a equipa desde o seu início, em 2010, ainda enquanto Sky.

“Alcançámos tanto juntos e guardaremos para sempre essas memórias. Estou ansioso para novos desafios ao evoluir para a próxima fase da minha carreira, mas por agora o meu foco está em ganhar uma quinta Volta a França com a INEOS”, pontuou.

O ciclista, que esteve oito meses parado devido a uma queda grave no Critério do Dauphiné em junho do ano passado e acabou mesmo por falhar a última edição do Tour, aponta assim, na despedida, para um quinto triunfo na 'Grande Boucle', agendada entre 29 de agosto e 20 de setembro, que lhe permitia igualar o recorde de vitórias na prova francesa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.