A edição especial da Volta a Portugal em bicicleta, que vai ser disputada entre 27 de setembro e 05 de outubro de 2020, vai contar com um prólogo e oito etapas, anunciou hoje a Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC).

A estrutura federativa avocou a organização desta edição especial, atendendo ao adiamento para 2021 da 82.ª edição da corrida, devido à pandemia de covid-19.

“A FPC entendeu, no entanto, que a Volta a Portugal é essencial para o futuro do ciclismo profissional no país, tendo decidido organizar uma edição adaptada às circunstâncias especiais em que vivemos”, sublinhou a FPC.

No mesmo comunicado, a FPC prometeu “as principais caraterísticas de um grande evento de ciclismo”, casos de “interesse desportivo, forte impacto mediático, capacidade de dinamizar a economia do país e de divulgar o território e garantia de retorno para o investimento dos patrocinadores da corrida e das equipas participantes”.

A FPC realçou ainda o “excelente acolhimento das câmaras municipais contactadas para integrarem o itinerário”, assinalando que “decorrem com normalidade os trabalhos para a organização da prova”.

O comunicado federativo ocorre no mesmo dia em que a Podium Events, responsável pela organização da Volta a Portugal, anunciou que a edição de 82.ª da prova vai ser disputada em 2021, ficando a corrida de 2020, a cargo da FPC, como uma edição especial.

“A ser possível a realização do novo evento, este será da exclusiva responsabilidade da FPC e terá características distintas, constituindo uma Volta a Portugal - Edição Especial, pelo que não comprometerá a 82.ª edição da Volta a Portugal Santander, que será realizada em 2021 nas datas habituais”, explicou a organização da principal prova velocipédica nacional.

A edição de 2020 da prova rainha do ciclismo nacional, que deveria decorrer entre 29 de julho e 09 de agosto, foi adiada, em 25 de junho último, para datas a determinar, tendo, em 16 de julho, a FPC anunciado estar “a trabalhar para que a Volta a Portugal possa realizar-se entre 27 de setembro e 05 de outubro”, com uma redução de 11 para nove etapas.

“A Podium Events e a FPC decidiram proceder ao adiamento da 82.ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander para 2021. A decisão foi motivada pelo contexto de pandemia gerado pela covid-19 que tornou inviável a realização este ano de um evento desta dimensão”, lê-se no comunicado hoje emitido pela Podium Events.

A realização da Volta tinha recebido ‘luz verde’ da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Governo, atendendo às orientações para a retoma de competições ao ar livre de modalidades individuais e à aprovação do plano sanitário para a prova.

No entanto, as Câmaras Municipais de Viana do Castelo e Viseu anunciaram que não receberiam a passagem da corrida nos seus concelhos.

O calendário velocipédico esteve suspenso desde meados de março, devido à pandemia de covid-19, e foi retomado em 05 de julho, com uma prova de reabertura, em Anadia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.