O selecionador português de ciclismo de estrada, José Poeira, manifestou-se hoje confiante “num bom resultado, especialmente com Nelson Oliveira”, na prova de contrarrelógio nos Mundiais, que vão disputar-se em setembro, na região britânica de Yorkshire.

“Acredito que teremos possibilidade de fazer um bom resultado, especialmente com o Nelson Oliveira. A prova vai obrigar a uma criteriosa escolha dos andamentos a utilizar, porque exige muitas mudanças de ritmo, devido às subidas, mas também às estradas estreitas e sinuosas”, destacou José Poeira, citado pela Federação Portuguesa de Ciclismo.

O técnico referiu as dificuldades técnicas do percurso de 54 quilómetros, numa tirada que “abre mais a possibilidade a corredores possantes, que tiveram a vida mais dificultada” nos Mundiais anteriores, mas mostrou-se confiante na obtenção de bons resultados.

As esperanças recaem sobretudo sobre Nelson Oliveira, sendo que o corredor da Movistar é um especialista do ‘crono’, com um quarto lugar no Campeonato do Mundo em 2017 e um quinto posto em 2018.

Em 2009, o tetracampeão português da especialidade (2011, 2014, 2015 e 2016) foi vice-campeão mundial de sub-23, tendo ainda sido terceiro europeu no mesmo escalão, no ano seguinte.

Depois de reconhecer o percurso dos Mundiais, que se realizam entre 21 e 29 de setembro, em Yorkshire, Poeira considerou tratar-se de um percurso em que existem “condições” para se obterem “bons resultados”, apesar de não favorecer as características dos corredores lusos.

Ao todo, a prova de fundo tem 285 quilómetros, ligando Leeds a Harrogate, e ao longo da qual será necessário “estar sempre bem colocado, com tensão constante”, o que vai provocar “um desgaste muito grande”, numa tirada “essencialmente urbana”, antes de um final em circuito.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.