O ciclista esloveno Tadej Pogacar (UAE Emirates) prometeu hoje atacar no Grand Colombier, ponto final da etapa de domingo, se puder conquistar uns segundos na luta pela geral da Volta a França, liderada pelo seu compatriota Primoz Roglic (Jumbo-Visma).

“Será um novo desafio, a subida final é terrível. Veremos como decorre a etapa. Se houver a possibilidade de amealhar alguns segundos, vou tentar fazê-lo”, disse o segundo classificado da geral individual, que está a 44 segundos da camisola amarela e que tem sido o ciclista mais pró-ativo entre os candidatos ao pódio da 107.ª edição.

Dizendo sentir-se bem, o líder da UAE Emirates, de apenas 21 anos, admitiu que ficará na expectativa para ver o que acontece nos 17,4 quilómetros, com pendente média de inclinação de 7,1%, de escalada até ao topo do Grand Colombier, um ‘clássico’ que no domingo faz a sua estreia como final de etapa no Tour.

Quem já espera ataques na subida da contagem de categoria especial, instalada na meta, e nas duas contagens de primeira categoria anteriores (Montée de la Selle, ao quilómetro 111, e Col de la Biche, aos 129), é Roglic.

“Será um dia muito duro. É uma etapa que conheço bem. Disputei-a depois da grande paragem motivada pelo confinamento [devido à covid-19] e estava num bom estado de forma. Um mês mais tarde, vemos que ainda estamos lá, ao mesmo nível”, declarou.

Roglic, o grande dominador do pós-confinamento, triunfou no Grand Colombier, em 09 de agosto, à frente de Egan Bernal (INEOS) e Nairo Quintana (Arkéa Samsic), com a vitória a permitir-lhe conquistar a geral do Tour de L’Ain, diante dos colombianos.

“Veremos o que acontece no domingo. Como é habitual, vou tentar sobreviver [com a amarela]. Veremos como a corrida se vai desenrolar. Estamos a contar com um ritmo alto e muitos ataques. A nós compete-nos sermos fortes até ao fim”, referiu o esloveno da Jumbo-Visma, propondo-se a vigiar os adversários e também a si próprio, o único que pode efetivamente controlar.

Na véspera da inédita chegada ao Grand Colombier, Roglic comanda a geral com 44 segundos de vantagem para o compatriota Tadej Pogacar, segundo, e 59 para o campeão em título, o colombiano Egan Bernal (INEOS), que é terceiro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.