Vencedor de duas etapas na Volta a Portugal de 2018 e terceiro classificado da geral nas duas últimas edições, o ciclista de Manzanares acredita que pode subir ainda mais no pódio da principal prova portuguesa.

“Vamos continuar a trabalhar e vamos tentar que seja este ano que a camisola amarela [da Volta a Portugal] vá para o Algarve”, disse, à agência Lusa.

Depois de Luís Mendonça, agora na Rádio Popular-Boavista, ter vencido a Volta ao Alentejo em 2018, García de Mateos quer manter o triunfo final na equipa de Loulé.

“Foi um dos objetivos com que começámos a época. Começar um pouco mais tranquilos para tentar revalidar a camisola amarela”, afirmou.

Sobre o início de temporada, o espanhol disse que “pouco a pouco os objetivos vão sendo um pouco mais ambiciosos”.

“Já estamos no final de março, fizemos uma borra preparação para começarmos a andar mais e vamos ver como corre a corrida, para ver como sinto as pernas e para ver se posso disputar a Volta ao Alentejo”, assumiu.

García de Mateos parte para o penúltimo e decisivo dia da ‘Alentejana’ na terceira posição, com o mesmo tempo do líder, o britânico Gabriel Cullaigh (Team Wiggins).

Hoje disputam-se duas etapas, uma ligação de 74,3 quilómetros, entre Ponte de Sor e Portalegre, e um contrarrelógio de 8,4 quilómetros em Castelo de Vide.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.