O jogador português de futsal Ricardinho, que representa os espanhóis do Inter Movistar, disse hoje que irá anunciar onde irá jogar na próxima temporada em agosto, mostrando-se agradecido por haver propostas de Portugal (Sporting), Brasil e Itália.

O penta bola de ouro da modalidade, que falava durante a apresentação do livro 'Ricardinho - A magia acontece onde há dedicação', reiterou ser importante haver interesse pela sua contratação.

"Nunca disse que tinha ou não interesse no Sporting. É importante e é muito bonito para o futsal que se fale nestes valores. É importante que se fale no interesse dos jogadores. Fico lisonjeado que haja equipas, não só o Sporting, mas do Brasil e de Itália também, que façam ofertas e que tenham interesse que eu vá para lá. Há que meter muitas coisas na balança e neste momento elas pendem um pouco mais para ficar em Espanha", afirmou.

Ricardinho, que não esconde o desejo de querer voltar a Portugal, tanto como jogador ou dirigente, mostrou-se satisfeito pela época que realizou e sustentou que ninguém mais que ele gostaria de conquistar a sexta bola de ouro.

"Foi um ano muito bom. Só não é de ouro porque perdemos a Taça de Espanha e a Taça do Rei. Mas foi um ano fantástico, conquistei a UEFA futsal Cup, o campeonato da Europa pela seleção, que foi como tocar no céu, e o penta em Espanha. Em cinco anos em Espanha fui cinco vezes campeão. As conquistas coletivas têm-me trazido conquistas individuais. Espero que continue assim. Vamos ver se vou ser campeão pela sexta vez em Espanha. Em agosto iremos saber", garantiu.

Em relação à final do campeonato nacional de futsal, em que o Benfica leva vantagem sobre o Sporting (2-1) e poderá ser campeão esta quarta-feira, caso vença os 'leões', em jogo no pavilhão do Estádio da Luz, agendado para as 21:00, Ricardinho diz não ter favoritos.

"Tem sido uma final fantástica. Uma final dura. Pode cair para qualquer lado. As equipas são muito equilibradas, tanto Benfica, como Sporting. Tenho amigo dos dois lados. Quem for campeão vou ser feliz", disse.

Com o Campeonato do Mundo de futebol a decorrer na Rússia, Ricardinho não esconde que gostaria de ver Portugal chegar à final e fez uma analogia com o futsal.

"Já estamos habituados a este sofrimento. Aliás, no futsal também fazemos sofrer as pessoas. Tem sido um Mundial intermitente, nem sempre jogámos bem, mas o importante é que Portugal chegue à final. Era importante para o futebol, para todo o desporto em Portugal. Saímos todos a ganhar", rematou.

Em jeito de crítica, Ricardinho relembrou que ainda não se sabe onde vai decorrer o próximo campeonato do mundo de futsal, que se realiza em 2020.

"Não sei se vou estar no próximo Mundial de futsal (falta disputar a qualificação). Não sabemos onde vai ser, o que é injusto para o futsal. Já se sabe onde vai ser o Mundial de futebol de 2026 e não se sabe onde vai ser o próximo de futsal. É uma falta de consideração grave para a modalidade. Espero que Portugal consiga fazer uma grande prestação", concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.