O FC Porto venceu hoje os espanhóis do Lleida por 5-3 e apurou-se para a final da Taça Continental de hóquei em patins, num jogo em que a qualidade individual desequilibrou para os 'dragões'.

No Pavilhão Municipal de Barcelos, Rafa, com três golos, e Carlos Grau, com algumas excelentes defesas, entre elas dois livres diretos, foram as figuras de um jogo em que os 'dragões' mostraram ser superiores, mas em que 'adormeceram' em alguns momentos, permitindo ao Lleida, vencedor da Taça CERS da época passada, alimentar a esperança quase até ao final.

O FC Porto, que perdeu com o Barcelona, adversário do Óquei de Barcelos na outra meia-final, a final da Liga Europeia, chegou ao 2-0 com alguma facilidade, inaugurando o marcador aos oito minutos, com Rafa a fazer a recarga certeira após um primeiro remate muito forte de meia distância de Gonçalo Alves.

Três minutos depois, Hélder Nunes dilatou a vantagem na conversão perfeita de um livre direto, mas os espanhóis reduziram à passagem do quarto de hora de jogo com um remate potente de Roberto di Benedetto que Carles Grau não conseguiu parar.

Mas aproveitando algum relaxamento dos portistas, o Lleida chegou mesmo ao empate, por Maximilano Oruste (21).

Num jogo equilibrado, os 'dragões' voltaram a colocar-se na dianteira no quinto minuto do segundo tempo com Hélder Nunes a desviar um grande remate de Gonçalo Alves ainda antes do meio-campo.

Aos 36 minutos, o FC Porto ficou novamente com dois golos de vantagem após uma bela jogada individual de Rafa, que passou por três adversários, o último dos quais o guarda-redes.

O Lleida nunca se deu por vencido e reduziu pouco depois, com Maximilano Oruste a bisar, num lance em que surgiu isolado diante de Carles Greu depois de Reinaldo Garcia ficar a pedir falta (37).

O FC Porto desperdiçou o seu segundo livre direto, com Giulio Coco a atirar ao poste (38), e Roberto di Benedetto respondeu com outra bola ao ferro (42), no que teria sido um grande golo.

Contudo, Rafa 'descansou' os portistas aos 44 minutos, com mais um excelente golo, fazendo o 'hat-trick', vantagem segurada por Carlos Grau, que parou com mestria dois livres diretos em cinco minutos (45 e 50).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.