Ana Catarina Nogueira estreia-se hoje no Cascais Padel Masters, torneio do World Padel Tour (WPT) que está a decorrer nos jardins do Casino Estoril, e revela querer continuar na senda das vitórias, após a conquista do Madrid Master.

"Este torneio é super-importante. Jogamos em casa, é de categoria Master, dá mais pontos para o ‘ranking’ e nós temos como objetivo ganhar. Vamos começar ronda a ronda, encontro a encontro, porque todos são difíceis, as duplas são muito equilibradas e o padel feminino tem um nível altíssimo. Portanto, não vai ser fácil, mas contamos com o apoio do público, jogamos em casa e isso é muito bom", destacou, em entrevista à agência Lusa, a portuense que tem como parceira a espanhola Paula Josemaría.

O primeiro confronto da dupla luso-espanhola e número seis do torneio português do WPT é frente às portuguesas Margarida Fernandes e Patrícia Ribeiro, com início previsto para hoje por volta das 12h30, e Ana Nogueira frisa que o "objetivo passa por continuar a ganhar" em Portugal.

Além de recusar "pressão adicional", a número um nacional assegura que a "vitória no Madrid Master funciona como motivação extra e um desafio", para quem vai "jogar em casa, com o apoio do público, que vai dar muita força, energia e ânimo", numa semana em que celebra o 41.º aniversário.

"Seria ouro sobre azul, uma alegria muito grande. Faço anos esta semana, durante o torneio, espero ficar em prova até lá e quem sabe chegar até à final", confessou a nortenha, que se dedicou ao padel depois de terminar há 10 anos uma carreira como tenista profissional, em que foi número um nacional, campeã nacional absoluta e jogadora da Fed Cup.

"Não gosto de comparar. Foram fases diferentes e tenho também muito orgulho daquilo que conquistei no ténis, porque é realmente uma modalidade muito exigente e também exigiu muito sacrifício de mim. Mas a verdade é que no padel tenho conseguido resultados extraordinários e, portanto, esta segunda parte da minha carreira desportiva tem sido sensacional e muito recompensadora", sublinhou.

Embora esteja prestes a festejar os 41 anos, Ana Catarina Nogueira garante não fazer planos a longo prazo, até porque, tanto no padel como no ténis, a ciência e o conhecimento têm ajudado na longevidade dos atletas.

"Antigamente os jogadores terminavam a carreira muito cedo e hoje vemos o Federer, o Nadal e outros com idades acima dos 34 e 35 anos, o que acontece também muito no padel. Penso que isso é o espelho da evolução científica do treino, da importância da recuperação física, recuperação de lesões, do descanso pós competição e pós treino. Esse conhecimento científico, tanto da parte de treinadores, preparadores físicos, nutricionistas, fisioterapeutas, também tem ajudado na longevidade dos atletas", defendeu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.