O vice-presidente da Federação Portuguesa de Canoagem, Ricardo Machado, está nos Mundiais da Hungria como treinador principal da seleção da Coreia do Sul, na sequência de protocolo entre as duas entidades.

“Esta cooperação nasce de um protocolo entre as duas federações iniciado há dois anos e que já trouxe as seleções da Coreia do Sul a trabalhar em Portugal. Este ano surgiu o convite para ser o treinador principal das suas equipas e aceitei este desafio, de curto prazo”, revelou hoje o dirigente.

Em declarações à Lusa, Ricardo Machado explicou que a sua opção “não condiciona o desempenho da seleção portuguesa”, uma vez que o seu projeto na Ásia começou somente em abril, “quando já todo o planeamento e estratégia de Portugal estava em curso e bem oleado”.

“Obviamente, foi necessário o acordo entre as três partes. Foram analisados os prós e os contras e percebemos que boa parte do trabalho que era necessário ser feito já estava realizado”, afiança, entendo que esta experiência o vai “valorizar”, bem como ao seu trabalho na federação portuguesa.

Esta situação motivou a nomeação de João Tiago Lourenço para ‘team leader’ das seleções, função que tem realizado ao longo desta época, incluindo etapas da Taça do Mundo e Jogos Europeus.

Uma vez que os Jogos Olímpicos vão decorrer na Ásia, o acordo prevê ainda que o estágio pré-Jogos Olímpicos decorra na Coreia do Sul, “com situação de competição mais aproximada” à que vão encontrar no Japão.

Ricardo Machado diz que tem encontrado “uma cultura e forma de trabalhar completamente diferentes”, assumindo que “não é fácil implementar na coreia do Sul os métodos de preparação e organização que têm garantido o sucesso a Portugal a nível internacional”.

O português lidera uma equipa técnica que tem dois sul-coreanos e um polaco, responsável pelos 14 atletas que se apresentam nos mundiais de Szeged.

“A Coreia do Sul tem um nível bastante abaixo do de Portugal, mas acredito que é possível fazer alguma diferença. Vieram aqui ganhar experiência, mas as poucas hipóteses de apuramento que têm só em 2020 na fase continental asiática”, explicou.

Os Mundiais de canoagem, em que se joga o apuramento para os Jogos Olímpicos Tóquio2020, contam com um recorde de 102 países participantes e mais de 1.000 canoístas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.