Portugal já 'ganhou' os seus mundiais de canoagem de Montemor-o-Velho, pois, aos elogios organizativos, juntou-se hoje a inédita medalha de ouro de Fernando Pimenta em K1 1000.

O tricampeão europeu completou a prova em 3.27,666 minutos, batendo por 725 milésimos de segundo o alemão Max Rendschmidt, que ficou com a medalha prata, enquanto o checo Joséf Dóstal foi o terceiro classificado, a 1,511 segundos do português.

Em campeonatos do mundo, o canoísta de Ponte de Lima, de 29 anos, tinha conquistado o bronze em 2015 e a prata em 2017 nesta distância: no domingo, defende o título mundial de K1 5.000, distância não olímpica.

Depois de terem feito história, ao levarem pela primeira vez um K2 500 feminino à regata das medalhas de um Mundial, Teresa Portela e Joana Vasconcelos completaram a prova em 1.49,665, ficando no oitavo posto, a 6,600 segundos das húngaras Anna Kárász e Danuta Kozák, vencedoras da prova.

As campeãs olímpicas bateram as campeãs mundiais, as neozelandesas Lisa Carrington e Caitin Ryan, por 23 milésimos de segundo, e foi necessário recorrer ao 'photo-finish' para determinar as vencedoras. As alemãs Joasmin Fritz e Steffi Kriegerstein arrecadaram o bronze, ficando a 2,524.

O pior do dia foi mesmo a inédita situação de falharem as meias-finais de K4 500, juntamente com Francisca Laia e Francisca Carvalho, com um oitavo lugar na sua série, quando lhes bastava um sétimo para, uma hora mais tarde, discutirem o acesso à final.

Ao invés, o K4 500 de Emanuel Silva, Messias Batista, João Ribeiro e David Varela teve duas regatas a um nível muito elevado e atingiu o apuramento na semifinal.

Em regata sempre na cabeça da prova, os portugueses terminaram em 1.21.741 minutos, a 0,073 segundos da República Checa.

Na final direta de K4 1.000, os jovens Luís Ferreira, João Pereira, Igor Pinho e Ruben Boas foram oitavos, com 3.11,665, a 13,718 segundos da equipa da Alemanha, que bateu a Eslováquia e a Espanha.

Hélder Silva provou novamente ser um dos melhores do mundo em C1 200, atingindo diretamente a final com o terceiro lugar.

O GNR concluiu a 113 milésimos do bielorrusso Artsem Kozyr, que terminou em 42,336 segundos e bateu o lituano Henrikas Zustautas por 37 milésimos, seguindo os três para a final que se realiza no domingo, às 12:32.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.