O chefe de missão nos Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno Lausana 2020, Pedro Farromba, considera "muito positiva" a estreia de Portugal na prova e frisa existirem "boas expectativas" para o resto da competição.

Vanina de Oliveira Guerillot terminou esta sexta-feira na 28.ª posição o Super G, entre 62 atletas, das quais 50 chegaram à meta.

"Correu muito bem. Era uma prova para a qual ela não vinha preparada. A Vanina fez esta prova aproveitando o fato de cá estar e ficou muito bem qualificada. É um ótimo resultado e anuncia boas expectativas para os próximos dias", disse hoje Pedro Farromba, em declarações à agência Lusa.

A lusodescendente, de 17 anos, tinha o dorsal 43, mas o chefe de missão sublinha que ter saído nessa posição acabou por não a prejudicar, por a pista se encontrar em boas condições.

“Quando são provas mais técnicas, com curvas mais apertadas, mais a pista se estraga, o que não é o caso", explicou o chefe de missão aos Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno, que se disputam na Suíça, entre 09 e 22 de janeiro.

Vanina de Oliveira Guerillot terminou em 59,10 segundos a prova ganha pela suíça Amelie Klopfenstein, com 56,27, menos oito centésimos do que a francesa Caitlin McFarlane e nove em relação à israelita Noa Szollos.

A esquiadora estava inicialmente anunciada nas disciplinas de slalom gigante e slalom, prova em que a comitiva deposita maiores esperanças, mas decidiu também disputar o super-gigante e o slalom combinado, que contempla uma manga de slalom e uma de slalom gigante.

Vanina de Oliveira Guerillot volta à pista no sábado, para a prova de slalom combinado, no domingo, para o slalom gigante, e na terça-feira, para o slalom.

A representação portuguesa, com dois atletas em esqui alpino, conta ainda com o covilhanense Manuel Ramos, também de 17 anos, que entra em ação na segunda-feira, na prova de slalom gigante, aquela em que se sente "mais à vontade", e na terça-feira encerra a participação na competição de slalom.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.