Os selecionadores portugueses de três das principais modalidades de pavilhão - andebol, hóquei em patins e voleibol - concordaram hoje que “nada será como dantes” após a pandemia de covid-19, mas mostraram-se confiantes num rápido regresso à atividade.

 Paulo Pereira (andebol), Renato Garrido (hóquei em patins) e Hugo Silva (voleibol) fecharam o primeiro dia da Odivelas Sports Summit, conferência organizada através de plataforma 'online' pelo Instituto Português do Desporto e Juventude e pela autarquia do distrito de Lisboa, e apelaram para a “consciência social” dentro das próprias modalidades para facilitar o regresso aos pavilhões.

“A única coisa que podemos fazer para que tudo regresse rapidamente ao normal é temos consciência cívica e todos os cuidados para evitar que haja contágios. Se todos o fizermos, acredito que um espaço de dois ou três meses poderemos estar todos a treinar”, apontou Paulo Pereira, selecionador de andebol, admitindo que todos terão “algum receio” enquanto não houver vacina.

O selecionador de voleibol concordou com Paulo Pereira, assumindo ser necessário “adaptar” às novas circunstâncias, mas mostrou-se “convencido” de que as competições de pavilhão poderão ser retomadas “muito em breve”.

“O respeito por nós e pelos outros vai ser fundamental. Nestes dois meses e meio estamos a aprender muitas coisas. Acho que está tudo à espera de ver quem começa primeiro, para depois seguir o exemplo e as aprendizagens”, disse Hugo Silva.

Outra questão que tem estado em discussão em diversas modalidades é a possível alteração de algumas leis de jogo, de forma a minimizar o contacto entre os jogadores para prevenir a transmissão do novo coronavírus.

Nesse aspeto, o selecionador de hóquei em patins louvou a “união” das federações de modalidades de pavilhão na criação de protocolos de segurança, mas manteve-se cético em relação a possíveis alterações das leis.

“A nível de podermos ter procedimentos [diferentes] dentro da pista, é quase impossível, não acredito que haja qualquer tipo de limitação. No futebol, pelo que vemos no campeonato alemão, a única alteração são as cinco substituições. Mais do que isso seria descaracterizar”, considerou Renato Garrido.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Portugal contabiliza pelo menos 1.383 mortos associados à covid-19 em 31.946 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado hoje.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.