Portugal terminou hoje o seu desempenho nos mundiais de paracanoagem da Hungria com o 17.º lugar de Hugo Costa na categoria adaptada de KL2 200, oitavo na final B.

“Estou de consciência tranquila, dei tudo do início ao fim. Arranquei no grupo da frente, mas na parte final não estava a conseguir aguentar, fiquei sem forças. Tive um desequilíbrio que me prejudicou um pouco. É continuar o trabalho para próxima época e melhorar o resultado”, disse.

O atleta de apenas 19 anos cumpriu a prova em 49,58 segundos, ficando a 5,22 do primeiro, o britânico David Phillipson.

“É muito bom competir com os melhores, principalmente para mim que sou novo, com apenas três anos de canoagem, comparado com eles. Estar aqui ao mesmo nível já é muito bom”, reforçou.

Apesar do seu treinador, Ivo Quendera, apontar a sua qualificação para os Jogos Paralímpicos Paris2024, Hugo Costa quer “sempre mais”, pelo que vai dar “o melhor para conseguir chegar a Tóquio2020”.

Quem já garantiu um lugar nos paralímpicos do Japão foi Norberto Mourão, vice-campeão do Mundo de VL2 200.

Em Szeged, Floriano Jesus ficou a um lugar da final de KL1 200 e em maio de 2020 vai também tentar agarrar a derradeira vaga na categoria para Tóquio.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.