A espera acabou. Com três etapas já disputadas, o Red Bull Cliff Diving World Series regressa, nos dias 21 e 22 de junho, ao ilhéu de Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel nos Açores. Este é o oitavo ano consecutivo em que a prova visita os Açores, o que faz desta etapa a mais antiga do circuito.

O arranque da competição, previsto para a próxima sexta-feira, proporciona aos 23 atletas de 14 países uma experiência única: duas rondas de saltos diretamente das rochas, um tributo às origens do desporto nascido há mais de 200 anos no Havai. Este é um fator diferenciador da etapa açoriana, deixando para o último dia, sábado, os saltos mais complexos e técnicos, que serão feitos a partir das plataformas de 21 e 27 metros (femininos e masculinos, respetivamente). No sábado, a partir das 11h40, decorrem a terceira ronda e as respetivas finais.

Os campeões em título chegam à ilha de São Miguel na máxima força. A australiana Rhiannan Iffland mantém-se invicta, com três vitórias em três etapas, e pode vir vir a fazer história nos Açores: em caso de triunfo, será a primeira atleta feminina a assegurar quatro vitórias em outras tantas etapas.

Até agora, os restantes lugares do pódio têm sido divididos entre Yana Nestsiarava, Lysanne Richard, Adriana Jimenez e a wildcard Maria Paula Quintero, uma nova cara nestas andanças que conseguiu o pódio em Itália. Se há alguém capaz de derrotar a dominante australiana, provavelmente será uma atleta deste quarteto.

Já o britânico Gary Hunt lidera isolado a classificação geral masculina, com uma margem confortável. Hunt já venceu por três vezes a etapa açoriana, mas falhou esta conquista nas duas últimas edições.

Ainda assim, o britânico de 35 anos é sempre um favorito, sendo que desta vez não vai contar com a oposição do veterano Orlando Duque. O colombiano, que no ano passado sofreu uma queda e foi forçado a desistir, está pela primeira vez fora do quadro permanente e só participa em algumas das etapas como 'wildcard'.

Com Constantin Popovici também de fora da etapa portuguesa, devido a lesão, Andy Jones deverá ser o principal opositor de Hunt nos Açores. O norte-americano ficou em 2.º lugar em Itália e subiu para a mesma posição na classificação geral, encontrando-se à frente de Kris Kolanus. O campeão de 2017, Jonathan Paredes, e o veterano Michal Navratil já fizeram pódios esta temporada e são também nomes a ter em consideração.

VÍDEO: Caiu o pano sobre a edição 2018 do Red Bull Cliff Diving! Gary Hunt e Rhiannan Iffland foram os vencedores
Gary Hunt e Rhiannan Iffland foram os vencedores da edição de 2018 créditos: @Red Bull Cliff Diving

Toda a ação desta etapa açoriana do Red Bull Cliff Diving poderá ser seguida através da Red Bull TV, a partir das 14h30h de sábado (22 de junho) e também na SIC Radical, a partir das 13h55.

Classificação geral após três etapas

Masculinos

1.º Gary Hunt GBR | 400 pontos

2.º Andy Jones EUA | 220 pts

3.º Kris Kolanus POL | 200 pts

4.º Jonathan Paredes MEX | 190 pts

5.º Michal Navratil CZE | 170 pts

Femininos

1.º Rhiannan Iffland AUS | 400 pontos

2.º Yana Nestsiarava BLR | 290 pts

3.º Lysanne Richard CAN | 240 pts

4.º Jessica Macauly GBR | 200 pts

5.º Maria Paula Quintere COL | 160 pts

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.