A 13. ª Reunião do Conselho da Organização Regional Antidopagem das Zonas II e III de África recomendou aos países a adopção de medidas correctivas que estejam de acordo com as normas do Código Mundial Antidopagem.

Estas são, entre outras, as recomendações saídas do encontro sobre antidopagem, realizada pela Organização Nacional Antidopagem de Cabo Verde (ONAD-CV) e que reuniu, na Cidade da Praia, nos dias 07 e 08 deste mês, representantes de Benim, Burkina Faso, Costa do Marfim, Guiné Conacri, Guiné Bissau, Mali, Níger, Togo e Senegal para uma reflexão e debate sobre esta questão.

Em declarações à Inforpress, o presidente da ONAD-CV, Emanuel Passos, explicou que existe um conjunto de questões e acções que os países membros têm de fazer e implementar para cumprir com as normais internacionais, sendo que essas medidas têm de ser adaptadas de acordo com a realidade de cada país e em função daquilo que tem vindo a fazer na luta a antidopagem.

“Todos os países membros já receberam as medidas correctivas que cada um tem que fazer para poderem estar de acordo com este código”, sublinhou o responsável, que assegurou que a ideia é ver se os países estão a cumprir com aquilo que a agência mundial estipula na luta contra dopagem no desporto.

Em relação a Cabo Verde, adiantou que há aspectos que precisam ser aprimorados e que estão a trabalhar nesta questão, tendo garantido que Cabo Verde está muito bem posicionado em relação aos outros países.

Por outro lado, adiantou que durante o encontro tiveram também a oportunidade de falar sobre o I Jogos Africanos de Praia, que Cabo Verde irá acolher em 2019, onde saíram um conjunto de recomendações no sentido de garantir que o evento esteja de acordo e cumpra as normas internacionais.

O encontro serviu também para discutir o orçamento geral da organização, os orçamentos para a bolsa de controlo de dopagem para os anos 2018 e 2019, bem como o plano operacional 2018-2019.

O evento de dois dias contou com a participação do director do Escritório Africano da Agência Mundial Antidopagem (AMA) o sul africano Rodney Swighon, o presidente da Organização Regional Antidopagem da Zona II e III, o francês Mohamed Diop, que enalteceram a politica de Cabo Verde na luta contra a dopagem e representantes dos países integrantes desta região africana.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.