O presidente da Federação de Ginástica de Portugal disse hoje que as novas datas dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 favorecem a “preparação dos atletas” e causam “o mínimo de perturbação possível”, mas alertou para as “dificuldades financeiras” dos clubes.

Para João Paulo Rocha, a nova calendarização da prova no Japão “é a que faz mais sentido”, por ser numa época do ano que “favorece a preparação dos atletas de forma similar à que seria em 2020” e por causar “o mínimo de perturbação possível”.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 vão realizar-se entre 23 de julho e 08 de agosto de 2021, praticamente um ano depois das datas previstas, anunciou hoje o presidente da comissão organizadora japonesa, Yoshiro Mori.

Os Jogos Olímpicos estavam marcados para decorrerem entre 24 de julho e 09 de agosto de 2020, mas foram adiados em um ano, devido à pandemia de covid-19.

Apesar de satisfeito com a decisão, o responsável máximo da Federação de Ginástica de Portugal alertou para “as dificuldades financeiras dos clubes” e a procura de encontrar “estratégias” para que estes possam sobreviver.

“Temos procurado ajudar, na medida do possível, os clubes a encontrar soluções para que no fim desta crise continuem a existir. Infelizmente, não temos recursos para injetar a quantidade de dinheiro que seria necessária para assegurar um período de crise sem problema nenhum para todos os clubes, pois é impossível”, sublinhou.

Para João Paulo Rocha, o futuro dos clubes “vai depender muito do apoio que as famílias estejam disponíveis para dar neste momento ou não”.

“Se de repente as famílias suspenderem as mensalidades, relativas aos treinos, vai haver muitos clubes que vão sair desta crise muito mal”, vincou.

Os atletas continuam em casa a treinar e, apesar das limitações, mantêm um pensamento positivo, à espera de retomar as atividades normalmente para recuperar a forma técnica que se está a deteriorar, acrescentou o dirigente.

Ainda com um apuramento pendente para Tóquio2020, João Paulo Rocha referiu que não há informações sobre como a qualificação irá decorrer.

A ginástica portuguesa tem já uma atleta qualificada, Filipa Martins, em ginástica artística feminina, e quatro atletas masculinos com possibilidade de garantirem apenas uma vaga em ginástica de trampolins, explicou.

“Ainda não está definido como se vai processar a parte da qualificação, que não estava concluída e estamos dependentes destas decisões. Algumas competições foram adiadas para o segundo semestre do ano e ainda não temos datas para elas”, lembrou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 727 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 35 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 142.300 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril, registaram-se 140 mortes e 6.408 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.