O treinador de judo do Benfica, Jorge Gonçalves, admitiu hoje que o resultado da participação da equipa feminina na Liga dos Campeões não foi o esperado, mas prometeu um regresso “com a mesma ambição”.

A equipa feminina do Benfica falhou a conquista da medalha de bronze na Liga dos Campeões de judo, ao perder com as romenas do Cluj-Napoca por 3-2 na prova realizada em Odivelas, que consagrou as francesas do RSC Champigny.

“Não foi bem aquilo que esperávamos. Para o ano, estamos de volta e com a mesma ambição de chegarmos à final e ganharmos. Temos uma equipa muito consistente. Independentemente do quinto lugar, temos equipa para chegar cá e combater pela final”, realçou.

O técnico assegurou que o Benfica pertence ao nível da Liga dos Campeões, lamentando algumas “derrotas inesperadas”, sobretudo na eliminatória para o ‘bronze’.

“Tivemos derrotas inesperadas. Conseguimos igualar a 2-2, foi um encontro muito emocional. O nosso lugar é aqui, na Liga dos Campeões”, analisou.

A judoca Telma Monteiro, medalha de bronze olímpica em -57 kg, demonstrou tristeza pelo resultado, mas revelou que “nada tira o valor” às judocas que representaram o Benfica na primeira participação de sempre das ‘águias’ na competição.

“Nada tira o nosso valor, demonstrámos que este é o nosso lugar. Queríamos mais, viemos com ambições. A nossa mentalidade não tem de mudar. Acreditávamos no nosso valor. Ganhámos 5-0 a uma equipa que está no pódio [Galatasaray, da Turquia], deixa-nos tristes não estar [no pódio]”, lamentou.

Telma Monteiro, que venceu o combate nos ‘quartos’, mas que não conseguiu superar as adversárias nas meias-finais e no encontro para definir a medalha de bronze, desvalorizou o facto de o Benfica apenas se ter apresentado com cinco judocas, que avalia “de nível mundial”.

“É um trabalho de equipa. Infelizmente, ficámos em quinto lugar, mas estou orgulhosa da equipa, acho que somos de nível mundial. Não perdemos por estarmos cansadas. Com o nosso valor, não precisamos de substitutas. Com um pouco mais de sorte, as coisas tinham sido diferentes. Todos os combates que não conseguimos vencer foram equilibrados”, sublinhou.

A vice-campeã mundial em -70 kg, Bárbara Timo, partilhou da tristeza sentida no seio do grupo, mas revelou sair da competição “com orgulho na equipa”.

“Só perde quem tenta, judo é isso, às vezes é ingrato. Estamos tristes, porque acho que merecemos mais. Vencemos uma equipa que foi medalha de bronze, isso mostra que o nível é muito alto. É uma honra para mim fazer parte desta equipa”, disse.

O RSC Champigny foi o grande vencedor da competição feminina, ao impor-se na final ao Valência, por 3-2.

O Cluj-Napoca subiu ao pódio, tal como a formação turca do Galatasaray (que tinha sido eliminada pelo Benfica nos ‘quartos’, mas foi repescada), na sequência do triunfo sobre o Flam 91, de França, na outra eliminatória de acesso ao terceiro lugar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.