Os praticantes das diversas modalidades de motociclismo sob a égide da Federação de Motociclismo de Portugal (FMP) vão poder regressar aos treinos, anunciou hoje aquela entidade, em comunicado.

"A Federação de Motociclismo de Portugal (FMP), consultada a sua comissão médica, decidiu retomar parcial e gradualmente a atividade desportiva e de mototurismo, no cumprimento das medidas determinadas pelas Autoridades Nacionais para a contenção desta pandemia [da covid-19] e salvaguarda da saúde pública e segurança de todos", lê-se no documento.

Neste comunicado, a FMP lembra algumas das disposições emanadas das autoridades de saúde, nomeadamente as exceções que permitem a "a atividade dos praticantes desportivos profissionais e de alto rendimento, em contexto de treino", em "circuitos permanentes cobertos para motos, automóveis e similares" ou em "pistas de ciclismo, motociclismo, automobilismo e rotas similares cobertas" quando "destinadas à atividade dos praticantes desportivos profissionais e de alto rendimento, em contexto de treino".

No entanto, a FMP lembra ainda as indicações que obrigam a "respeito de um distanciamento mínimo de dois metros entre cidadãos, para atividades que se realizem lado-a-lado, ou de quatro metros, para atividades em fila" ou o "impedimento de partilha de materiais e equipamentos, incluindo sessões com treinadores pessoais", e o "impedimento de acesso à utilização de balneários", para além da necessidade de "cumprimento de um manual de procedimentos de proteção de praticantes e funcionários".

"Este período de situação de calamidade é já um período de desconfinamento gradual em relação ao estado de emergência anterior, mas em que todas as precauções na defesa da saúde pública devem continuar a ser observadas. Só assim poderemos prosseguir o processo de desconfinamento de forma positiva e que nos permita retomar todas as nossas atividades motociclísticas, desportivas e de mototurismo, com a maior brevidade possível", sublinha a FMP.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 250 mil mortos e infetou mais de 3,5 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.063 pessoas das 25.524 confirmadas como infetadas, e há 1.712 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Portugal entrou domingo em situação de calamidade, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.