O galês Elfyn Evans (Toyota Yaris) chegou ao final do segundo dia do Rali da Suécia na liderança quando falta apenas disputar uma especial, domingo, depois de ter sido cancelado mais um troço desta segunda prova do Mundial.

A falta de neve e as temperaturas elevadas que se fazem sentir por estes dias na Suécia afetaram o rali, que perdeu nove das 18 especiais previstas inicialmente.

Evans terminou o dia de hoje, disputado entre a Suécia e a Noruega, com o tempo total de 1:00.38,9 horas e 17,2 segundos de vantagem sobre o campeão em título, o estónio Ott Tanak (Hyundai i20).

"Não posso dizer que estou contente, mas temos vindo a fazer progressos consistentes e a adquirir uma valiosa experiência com o carro", disse Tanak, depois de hoje os pilotos terem repetido as quatro especiais de sexta-feira.

Durante a noite ainda nevou, mas as temperaturas foram superiores à média, o que permitiu que a terra descongelasse, tornando o piso mais macio do que na véspera. Os pneus de pregos, ideais para o gelo e que são utilizados nesta prova, são os principais prejudicados, perdendo eficácia e durabilidade.

Evans parece imune a esse tipo de problemas e hoje venceu três das quatro especiais disputadas, deixando a vitória no último troço para o belga Thierry Neuville (Hyundai i20), que terminou a jornada na sexta posição, já a 39,2 segundos do líder.

"Foi um bom dia para nós. Agora vamos tentar dar o nosso melhor. Vai ser uma longa especial e facilmente podemos perder muito tempo", alertou Elfyn Evans.

O francês Sébastien Ogier (Toyota Yaris) subiu mais uma posição, ascendendo ao terceiro lugar, por troca com o companheiro de equipa, o finlandês Kalle Rovanpera (Toyota Yaris).

Ogier está já a 28,8 segundos de Evans, tendo Rovanpera a meio segundo de distância.

A organização viu-se forçada a cancelar a primeira passagem por Likenas prevista para domingo, deixando por disputar apenas 21,19 quilómetros da ‘power stage’, que distribui cinco pontos pelos cinco mais rápidos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.