O português João Barbosa (Cadillac) terminou, este domingo, em terceiro lugar as 24 Horas de Daytona, prova de abertura do campeonato americano de resistência, o IMSA WeatherTech SportsCar Championship.

O piloto do Porto, que esta época defende as cores da Mustang Sampling Racing, foi o melhor representante nacional, tendo liderado durante a primeira metade da prova, juntamente com os franceses Loic Duval e Sébastien Bourdais, correndo na categoria principal, a DPi.

O carro do piloto português terminou a 1.25,585 minutos do vencedor, o Cadillac do holandês Renger van der Zande, do japonês Kamui Kobayashi e dos neozelandeses Ryan Briscoe e Scott Dixon.

Já Filipe Albuquerque, o outro português a correr na categoria principal, com um Cadillac da Whelen Engineering, sofreu com problemas de embraiagem durante a madrugada e caiu dos lugares do pódio até à sétima posição final, a 22 voltas do vencedor.

"Desde cedo que nos apercebemos que este ano, esta corrida, não era para nós. Tudo nos aconteceu: logo no início foi o autocolante do visor que ficou a tapar a entrada de ar do motor. Uma coisa que raramente acontece e que, nos últimos tempos, já me aconteceu duas vezes. Depois um furo e, mais tarde, ficámos sem a segunda velocidade. Para finalizar, a caixa de velocidades cedeu. Foram 11 voltas nas boxes para substituir a caixa e foi o fim. Daí para a frente foi levar o carro até à bandeira de xadrez. Não havia nada que pudéssemos fazer", referiu o piloto de Coimbra.

Álvaro Parente, num Acura GT3, foi 25.º da geral e oitavo classificado da categoria GTD, enquanto Pedro Lamy, que correu com um Aston Martin, foi 17.º classificado da mesma categoria, tendo desistido ainda antes de completada a sexta hora de corrida.

A próxima ronda realiza-se de 18 a 21 de março, com as 12 Horas de Sebring.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.