A nadadora norte-americana Katie Ledecky tornou-se hoje na mais titulada dos Mundiais, ao vencer o 12.º na final dos 1500 metros livres em Budapeste, num terceiro dia em que ‘caíram’ quatro recordes mundiais.

É o terceiro título da nadadora de apenas 20 anos nesta distância, depois de ter vencido em 2013 e 2015, e o terceiro ouro nos Mundiais2017, depois dos 400 metros livres e os 4x100 metros livres.

Ledecky dominou os 1500 metros, ao terminar em 15.31,82 minutos, mais de 20 segundos a menos em relação à espanhola Mireia Belmonte, segunda, e à italiana Simona Quadarella, terceira.

A norte-americana, que não perde uma corrida em Mundiais desde 2013, está a meio do objetivo que estabeleceu para a competição de Budapeste: vencer seis medalhas de ouro, algo só ao alcance de uma nadadora “de outro planeta”, como disse a espanhola Belmonte no final da final dos 1500 metros.

“Estava em boa posição, fui rápida e forte. Provavelmente, poderia ter nadado mais rápido nos últimos 50 metros, mas estou feliz com a minha corrida e o meu tempo”, atirou a norte-americana no final.

Nos 100 metros costas, a canadiana Kylie Masse bateu o recorde mundial, agora cifrado nos 58,10 segundos, num dia em que também Lilly King o conseguiu, ao fixar em 1.04,13 minutos a melhor marca mundial dos 100 metros bruços, durante a final da distância.

Masse não se ‘ficou’ pelo recorde do mundo, tornando-se na primeira nadadora canadiana a vencer uma medalha de ouro em campeonatos do mundo.

A canadiana nadou a distância em 58,10 segundos, batendo a norte-americana Kathleen Baker (58,58) e a australiana Emily Seebohm (58,59).

O anterior recorde do mundo dos 100 metros costas datava de 2009 e tinha sido conseguido pela britânica Gemma Spofforth (58,12 segundos), na altura com os polémicos fatos sintéticos de alta tecnologia.

O britânico Adam Peaty bateu por duas vezes durante o dia de hoje o recorde do mundo dos 50 metros bruços, primeiro nas eliminatórias, com 26,10 segundos, e depois na meia-final, ao fazer 25,95 segundos, a primeira vez que um homem baixa dos 26.

Peaty, de 22 anos, e que na segunda-feira revalidou o título mundial dos 100 metros bruços, já era o detentor do anterior registo, de 26,42, obtido nos mundiais de 2015, e tornou-se no primeiro homem a bater por quatro vezes a melhor marca mundial da distância.

A vitória da norte-americana Lilly King nos 100 metros bruços aconteceu no meio de oposição de peso, com a anterior detentora do recorde mundial, a lituana Ruta Meilutyte, e a russa Yulia Efimova.

Aos 20 anos, a nadadora juntou o título mundial ao ouro olímpico, conquistado nos Jogos Rio2016, e bateu o recorde da lituana Ruta Meilutyte, fixado em Barcelona em 2013, por 22 centésimos.

Meilutyte terminou em quarto lugar, atrás da russa Yulia Efimova, campeã em 2015 e agora terceira classificada, e a norte-americana Katie Meili, segunda.

Na competição masculina, a China obteve duas medalhas de ouro, com o campeão olímpico Sun Yang a vencer nos 200 metros costas e Xu Jiayu nos 100 metros costas.

Yang disputa na quarta-feira a final dos 800 metros, distância que domina desde 2011.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.