Nos 1.500 metros livres, José Lopes tornou-se o primeiro português a baixar a barreira dos 15 minutos, com a marca de 14.58,18, fazendo cair o anterior máximo, 15.00,35, fixado por Filipe Santo há menos de um mês.

“Estou muito feliz. Segui as indicações do meu treinador [Luís Cameira] e procurei controlar a prova nos primeiros 800 metros com um ritmo forte para na segunda parte acelerar. Foi o que aconteceu. O objetivo é continuar a trabalhar cada vez mais para evoluir e poder sonhar com objetivos mais altos na minha carreira”, disse o nadador, à assessoria de imprensa da federação de natação.

Diana Durães nadou os 800 metros livres em 8.23,23 minutos, melhorando a melhor marca nacional (8.24,09) que lhe pertencia e obtendo mínimos para os Europeus.

“Depois do recorde nacional nos 1500 livres percebi que era possível melhorar também o máximo dos 800 metros. Claro que há algum cansaço acumulado ao fim de algumas semanas de competições, após os mundiais, mas o meu nível aeróbio permite-me ainda assim recuperar o que não acontecia há dois anos”, afirmou a nadadora.

Nos 100 metros estilos, Ana Rodrigues cronometrou 1.01,83 minutos, melhorando a melhor marca portuguesa (1.02,07), estabelecida há pouco mais de uma semana por Raquel Pereira.

“Este recorde dos 100 estilos e o dos 100 livres estavam nos meus objetivos apesar dos estilos eu ser mais fraca em costas. Foi uma prova muita competitiva, mas o apoio da família, dos amigos e do treinador permitiram-se superar-me”, referiu.

O quarteto do Benfica formado por Luís Pereira, Guilherme Dias, Miguel Nascimento e José Paula Carvalho, superou o máximo absoluto dos 4x100 livres com a marca de 3.15,63 minutos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.