O Diretor Técnico Nacional (DTN) de Natação, José Machado, disse Portugal irá participar nos Jogos Olímpicos Tóquio2020 com a ambição de conseguir o maior número de apuramentos possível para as meias-finais.

“O objetivo muito pragmático passa por conseguir o maior número de classificações possível dentro dos 16 primeiros. É esse o nosso objetivo e a partir daí quanto mais fizermos melhor para nós”, afirmou José Machado em entrevista à agência Lusa.

O Diretor Técnico Nacional não fecha a porta à participação numa final, o que seria histórico para a modalidade em Portugal, mas lembra que, para já, não é realista colocar essa meta.

“Apesar de termos bons indicadores, os dados que temos ainda não apontam para finais. Continuamos no patamar dos 16 melhores e a partir daí tentar o acesso à final. Mas, numa perspetiva realista, um lugar entre os 16 primeiros é aquilo que enquanto responsável posso definir como objetivo”, frisa José Machado.

Para suportar a sua cautela, o responsável nacional recorda que no Rio de Janeiro, em 2016, Alexis Santos se classificou em duas provas para as meias-finais e que esse era um feito que não era alcançado há mais de 30 anos.

“Isto mostra que temos de ser muito pragmáticos na definição de objetivos. Depois, nada nos impede de sonhar, mas esta é a realidade”, afirma.

Com cinco nadadores já apurados, Portugal pode ainda ter mais atletas a caminho de Tóquio, algo que José Machado vê como provável.

“Tivemos quatro nadadores no Rio e a Federação definiu a presença de um atleta convidado. Para este ciclo garantimos que só estaria presente quem fizesse mínimo A, por isso, já com cinco apurados, a delegação vai ser sempre mais significativa. Mas, além desses, estou convencido de que há um conjunto de atletas que pode ambicionar atingir a meta do mínimo A”, revela esperançado o Diretor Técnico Nacional, que adianta que as hipóteses são mais fortes nos 400 metros estilos masculinos, 200 metros bruços femininos e 50 metros livres masculinos.

Para tentar este apuramento, José Machado confia que os campeonatos nacionais, em final de março, serão determinantes, mas sublinha que até 07 de junho é possível carimbar o passaporte para Tóquio2020.

“Um momento muito importante são os campeonatos nacionais, que são uma prova chave para garantir os mínimos de qualificação. Há ainda os campeonatos da Europa, mas o ideal seria concretizar esse objetivo antes, de forma a que os atletas possam depois ter um ciclo de preparação antes dos Jogos”, conclui.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 têm início a 24 de julho e prolongam-se até 09 de agosto. Neste momento estão já apurados cinco atletas portugueses: Gabriel Lopes e Alexis Santos, nos 200 metros estilos, Tamila Holub e Diana Durães nos 1500 metros livres, e Ana Catarina Monteiro, nos 200 metros mariposa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.