A Nova Zelândia, bicampeã mundial em título, cumpriu hoje o esperado e ‘atropelou’ a Irlanda no Campeonato do Mundo de râguebi, marcando lugar nas meias-finais diante da Inglaterra.

Em jogo disputado em Tóquio, os ‘All Blacks’, campeões em 2011 e 2015, conseguiram uma diferença de 32 pontos, com um triunfo por 46-14, margem um pouco superior à alcançada um pouco antes em Oita pela Inglaterra diante da Austrália (40-16).

Na busca de um quarto título, terceiro consecutivo, a Nova Zelândia já vencia ao intervalo por 22-0, um resultado demasiado pesado, na opinião do selecionador irlandês, Joe Schmidt.

“Não é justa uma diferença de 22 pontos ao intervalo, aproveitaram todas as bolas que tiveram”, justificou o técnico irlandês, num período em que os neozelandeses marcaram três ensaios (15 pontos), com duas conversões (quatro), e um pontapé de penalidade (três).

Com muito apoio do público, 0s habituais pontos fortes dos irlandeses – agressividade nas formações, jogo de pés ou bolas altas -, não funcionaram, num jogo em que marcou a despedida do capitão irlandês, Rory Best, e do selecionador Schmidt.

Os ‘All Blacks’, principais candidatos ao título mundial, chegam às ‘meias’ com o pleno de triunfos, depois de na fase de grupos terem vencido a África do Sul (23-13), o rival mais difícil, o Canadá (63-0) e a Namíbia (71-9).

Hoje, em Tóquio, Aaron Smith (14 e 20 minutos), Beauden Barrett (32), na primeira parte, e Codie Taylor (48), Matt Todd (61), George Bridge (73), Jordie Barrett (79), na segunda, foram os autores dos ensaios.

A meia-final com a Inglaterra, país campeão mundial em 2003, está agendada para 26 de outubro, em Yokohama.

A Inglaterra tornou-se a primeira qualificada para as meias-finais do Campeonato do Mundo de râguebi, a decorrer no Japão, graças ao triunfo claro sobre a Austrália, por 40-16.

Depois de ter falhado as meias-finais nas duas últimas edições (2011 e 2015), a Inglaterra, campeã do mundo em 2003, dominou completamente o encontro, negando a segunda final consecutiva aos australianos, com quatro ensaios e os pontapés certeiros do capitão Owen Farrell, autor de 20 pontos.

Os britânicos, que chegaram ao intervalo a vencer por 17-9, ganharam com ensaios de Jonny May (18 e 21 minutos), Kyle Sinckler (46) e Anthony Watson (76), todos convertidos por Farrell, que ainda bateu com sucesso as quatro penalidades de que dispôs.

A Inglaterra chegou a esta fase sem ter disputado o seu último jogo da fase de grupos, com a França, em 12 de outubro, devido à passagem do tufão Hagibis no Japão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.