O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recebeu hoje no Museu Nacional dos Coches "um dos melhores tenistas do mundo", João Sousa, que revelou ter com objetivo "integrar o ‘top-20’ do ‘ranking' mundial".

"Queria agradecer a presença do João, o que tem feito por Portugal, pelo desporto, pelo ténis, pelo prestígio de Portugal no mundo, e isso é excecional. Passo a vida a dizer que somos muito bons, dos melhores do mundo e ele é dos melhores do mundo", enalteceu Marcelo Rebelo de Sousa, no âmbito da iniciativa Desportistas no Palácio de Belém.

João Sousa mostrou-se "muito contente por fazer parte da iniciativa da presidência e interagir com os mais jovens", alunos das Escolas Secundárias Rainha D. Leonor, D. Dinis, António Damásio, Colégio Valsassina, EB 2,3 de Damião de Odemira e Pupilos do Exército, a quem revelou ter como objetivo voltar ao ‘top-20’ do ‘ranking' mundial.

"Não gosto de falar em números, mas acho que, por vezes, consigo jogar ao nível do ‘top-20’. Acabar um ano no ‘top-20’ são palavras maiores, mas poder integrar o ‘top-20’, porque não? Tenho vindo a evoluir como jogador, todas as temporadas tenho tentado evoluir a nível profissional e tenho acreditado no meu trabalho. A minha equipa técnica tem sido fantástica e vou lutar para crescer como jogador e oxalá possa fazê-lo", explicou depois à comunicação social.

Após recordar as primeiras trocas de bolas, aos seis anos, nos ‘courts' de ténis, em Guimarães, onde nasceu, a mudança para Barcelona, aos 15 anos, a conquista do primeiro ponto ATP, em 2007, a entrada no ‘top-100’ , com 23 anos, o primeiro título ATP em Kuala Lumpur, em 2013, quando ascendeu ao ‘top-50’, o segundo troféu em Valência, em 2015, acabando o ano na melhor posição de sempre, no 28.º lugar, e a vitória histórica no Estoril Open, o vimaranense partilhou os planos para a carreira.

"Participar nos Jogos Olímpicos e estar em Tóquio é um dos objetivos principais. Infelizmente, este ano já não vou poder competir. Vou descansar, foi uma época longa e exigente, e preparar da melhor maneira a próxima época", avançou o número um nacional e 60.º do ‘ranking’ ATP, que tem uma fratura no pé esquerdo.

Apesar de ter encerrado a temporada mais cedo do que o previsto, João Sousa defende ter vivido uma época positiva, em que atingiu, entre outros resultados, os oitavos de final de Wimbledon, na competição de singulares, e meias-finais no Open da Austrália, em pares.

"Foi uma temporada em que não tive tantas vitórias em singulares, porque apostei também em pares e tive bons resultados. Em singulares tive momentos muito altos, como aconteceu em Wimbledon, e tive momentos baixos. Foi uma temporada com alguns altos e baixos, mas estou contente com mais uma temporada no top-100. Esta lesão impediu-me de jogar bem nos últimos três torneios", defendeu João Sousa, de 30 anos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.