A organização do Open de Madrid, que se deveria realizar entre 01 e 10 de maio, anunciou hoje a criação de um torneio virtual que colocará frente a frente “os melhores tenistas do mundo a partir das suas casas”.

Neste torneio, que será disputado entre 27 e 30 de abril, “as grandes estrelas” do circuito ATP (masculino) e do WTA (feminino) enfrentar-se-ão no Estádio Manolo Santana, o principal ‘court’ da Caja Mágica madrilena, que será recreado “detalhadamente” no jogo de vídeo Tennis World Tour, mas trocarão “as raquetes pelo comando das consolas”.

“O Mutua Madrid Open Virtual Pro [...] nasce com o claro propósito solidário de ajudar os tenistas com mais dificuldades neste momento, a todos aqueles que não têm rendimentos para fazer face a estes meses de inatividade, e a todos os afetados pela covid-19. Por isso, o torneio contará com um ‘prize-money’ de 150.000 euros em ambos os quadros (ATP e WTA), do qual os vencedores poderão decidir a quantia que entregam aos tenistas com mais problemas económicos”, especifica a organização, em comunicado.

Outros 50 mil euros serão canalizados “integralmente para a redução do impacto social da pandemia da covid-19”, acrescenta a nota.

O torneio virtual será disputado em formato de grupos e poderá ser acompanhado na página oficial e nas redes sociais do Open de Madrid e na televisão.

“O Mutua Madrid Open Virtual Pro será o primeiro torneio online do circuito ATP, oferecendo tanto aos jogadores, como aos adeptos uma nova forma de se relacionarem com a nossa modalidade”, salientou o italiano Andrea Gaudenzi.

A ATP e o WTA suspenderam os torneios de ténis até 13 de julho de 2020, devido à pandemia de covid-19.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais mais de 70 mil morreram. Dos casos de infeção, mais de 240 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 676 mil infetados e mais de 50 mil mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, 15.887 óbitos em 128.948 casos confirmados até hoje.

A Espanha é o segundo país com maior número de mortes, registando 13.055 mortos, entre 135.759 casos de infeção confirmados até hoje, enquanto os Estados Unidos, com 9.648 mortos, são o que contabiliza mais infetados (337.646).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.